Bolsonaro faz piada com meio milhão de mortos: 'quem tiver covid procure o doutor William Bonner'

Em encontro com apoiadores, o presidente disse ainda que Lula, o 'nove dedos', só ganha eleição de 2022 se tiver fraude, e ironizou atos do dia 19 de junho: 'Vou apoiar consumo de mortadela'

Foto: Reuters/Adriano Machado
Credit...Foto: Reuters/Adriano Machado

Em vídeo editado de conversa com apoiadores na manhã desta segunda-feira (21), divulgado em canal bolsonarista no Youtube, Jair Bolsonaro (Sem partido) ignorou os mais de 500 mil mortos pela Covid-19, atacou o ex-presidente Lula e ironizou os atos que levaram mais de 750 mil pessoas às ruas no último sábado (19).

Na única alusão à pandemia, Bolsonaro fez piada, recomendando àqueles que testarem positivo para o coronavírus a procurarem o “doutor” William Bonner ou a doutora “Míriam Leitão”, ambos jornalistas da Globo.

“Ó, quem tiver com Covid sabe quem procurar agora. É o doutor William Bonner, falou pessoal? E a doutora Míriam Leitão, é muito boa também”, ironizou Bolsonaro, ignorando os familiares dos mais de 500 mil brasileiros mortos na pandemia.

Lula
Bolsonaro abre o vídeo, em um claro corte de edição, atacando o ex-presidente Lula e voltando a acusar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de fraude no sistema de votação eletrônico.

“Só na fraude o nove dedo (SIC) volta”, disse, arrancando risos dos apoiadores. “Se o congresso aprovar e promulgar, teremos voto impresso. Não vai ser a canetada de um cidadão como esse daqui [mostra o celular] que não vai ter voto impresso. Pode esquecer isso aí”, emendou, atacando o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, que recentemente cobrou provas das denúncias feitas por Bolsonaro.

Em seguida, Bolsonaro ironizou os atos de 19 de junho dizendo vai “apoiar” o “consumo de mortadela” para dispersar as manifestações.

“Acho que vou acabar com as manifestações dos petralhas: comam mortadela, pessoal, que faz bem à saúde”, ironizou. “Vai acabar com as manifestações. Entendeu a jogada? Tudo o que eu apoio é o contrário. Estou apoiando o consumo de mortadela no Brasil”. (Plinio Teodoro/Revista Forum)