Após recorde de mortes, Pazuello diz que governo não é 'máquina de fabricar soluções'

'O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, admitiu que o Brasil está em um grave momento da pandemia

Credit...

A declaração foi publicada nas redes sociais do Ministério da Saúde.

"Hoje é um dia difícil para todos os brasileiros. Atingimos um grave momento da pandemia", afirmou o ministro.

Pazuello publicou o pronunciamento no mesmo dia em que o Brasil bateu o recorde de mortes, atingindo 1.910 óbitos em apenas 24 horas.

O ministro disse que o governo está "trabalhando duro" para vacinar a população, mas que não é "máquina de fabricar soluções".

"A todos vocês, quero dizer que estamos trabalhando firmes para mudar esse quadro. Não somos uma máquina de fabricar soluções, mas somos seres humanos focados na resolução de problemas", disse.

?Pazuello, sem mencionar o número de mortos, pediu cuidados individuais para a população.

"Estamos trabalhando forte para que até o final desse ano, os maiores de 18 anos, que puderem ser vacinados, sejam vacinados. Enquanto isso, alerto sobre a importância de que todos mantenham os cuidados preventivos individuais para diminuir o risco de ficar doente", completou.

O ministro citou as negociações para a compra de 138 milhões de doses das vacinas dos laboratórios Pfizer e Johnson & Johnson. (com agência Sputnik Brasil)