Campanha da TV Cultura pelo uso de máscara aponta mau exemplo de Bolsonaro

A TV Cultura colocou no ar uma campanha pelo uso de máscara que exibe uma série de retratos de líderes mundiais, inicialmente do passado, e depois do presente

Credit...

Abrindo o filme, uma sequência de imagens apresenta a personalidades do passado, sob a frase: “O que eles fizeram mudou a nossa história”. Para esta etapa, fotos de Mahatma Gandhi, Osama Bin Laden, Albert Einstein, Adolf Hitler, Madre Tereza de Calcutá e Nelson Mandela.

Em seguida, veem-se figuras contemporâneas sob a frase: “O que eles fazem muda a nossa história”, lema que serve à rainha Elizabeth, com a máscara devidamente colocada sobre o rosto, a Donald Trump, que está a arrancar a sua máscara, a Joe Biden, com máscara, e, finalmente, a Jair Bolsonaro, com a máscara a despencar de uma orelha.

Um anônimo então surge em cena para que outra frase feche o filme: “Faça história: Use máscara”.

É claro que todos os cidadãos que têm lutado para ver a ciência ser respeitada, abominando os atos e declarações negacionistas do presidente da República, só podem aplaudir o filme, mas é inevitável notar que a produção vem da TV Cultura, emissora abastecida pelo governo do estado coordenado por João Doria, que se tornou o maior opositor de Jair Bolsonaro, cujo mau exemplo é escancarado na edição.

Doria, não custa lembrar, é alguém que, segundo pesquisa Datafolha, fez mais pelo combate ao vírus do que o presidente da nação, raramente visto de máscara ao longo de toda a pandemia.(com Folhapress)