PGR abre investigação preliminar sobre atuação de governo Bolsonaro na crise sanitária em Manaus

Foto: Folhapress / Pedro Ladeira
Credit...Foto: Folhapress / Pedro Ladeira

A Procuradoria-Geral da República abriu apuração preliminar sobre a conduta do governo do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia no Pará e em Manaus.

A decisão é uma resposta à ação protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo PCdoB. A legenda pede que Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sejam investigados e responsabilizados pelo agravamento da pandemia da covid-19 em Manaus e em municípios paraenses, como Santarém.

Segundo o PCdoB, as duas autoridades praticaram crime de prevaricação ao atuar de forma "descompromissada em relação às politicas de combate ao novo coronavirus no âmbito do Sistema Único de Saude".

O partido também acusa o governo federal de propagar a "utilização de medicamentos que não têm eficácia científica", em referência à cloroquina.

Pazuello já é investigado no STF
O sistema de saúde de Manaus entrou em colapso no início do ano com a alta de internações devido ao coronavírus. Diante da alta demanda, houve falta de oxigênio na capital e pacientes acabaram morrendo. Várias cidades do Pará também vivenciaram quadro semelhante.

"Caso, eventualmente, surjam indícios razoáveis de possíveis práticas delitivas por parte dos noticiados, será requerida a instauração de inquérito nesse Supremo Tribunal Federal", afirmou o procurador-geral da República, Augusto Aras, em resposta à petição aberta.

A medida da PGR se soma a outra ação em andamento no Supremo, na qual Pazuello é investigado por omissão no combate à covid-19 no Amazonas. Há indícios de que o governo federal foi avisado sobre a falta de oxigênio no estado, mas não teria atuado para minimizar o problema. (com agência Sputnik Brasil)