Bolsonaro diz que não é um 'excelente presidente', mas muitos querem a volta dos 'anteriores'

.

 REUTERS/Adriano Machado
Credit... REUTERS/Adriano Machado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (19) que não pode dizer que é um excelente presidente, mas deu a entender que seria melhor do que os anteriores.

A declaração foi feira a apoiadores na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília.

"Não vou dizer que eu sou um excelente presidente. Mas tem muita gente querendo voltar o que eram os anteriores. Já reparou? É impressionante. Estão com uma saudade de uma… [Não terminou a frase]. Estamos cumprindo uma missão aqui”, disse Bolsonaro.

O presidente vinha sendo pressionado nas últimas semanas para que o Brasil iniciasse a campanha de imunização contra a covid-19, que começou no domingo (17), com pontapé inicial dado por seu rival João Doria, governador de São Paulo.

Agora, ele enfrenta críticas para que consiga facilitar a importação de mais doses e insumos para a produção dos imunizantes no país.

Diretor do Butantan pede 'dignidade' ao presidente
Nesta terça-feira, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, pediu "dignidade" ao presidente para se esforçar em trazer material da China para a fabricação da CoronaVac no Brasil.

Além disso, o país está tentando importar dois milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca do laboratório Serum, na Índia. Apesar de acordo já assinado, as autoridades indianas ainda não liberaram a saída do imunizante.

Em meios aos problemas, os casos de coronavírus voltaram a crescer nos últimos meses, com o sistema de saúde de Manaus entrando em colapso no início do ano.

Nos últimos dias, cresceram os movimentos pedindo o impeachment de Jair Bolsonaro. O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no entanto, descarta a abertura de processo para a destituição do chefe de Estado. (com agência Sputnik Brasil)