Jornalista e político histórico

...

Para lembrar dos 60 anos da primeira bancada estadual do antigo Estado da Guanabara, é importante resgatar a atuação do jornalista e político histórico, José Gomes Talarico (1915- 2010).

Eleito deputado estadual, pelo antigo Estado da Guanabara, em 1962, pelo extinto PTB de Getúlio Vargas e João Goulart, José Gomes Talarico foi meu colega de bancada (fui eleito pela UDN, extinta , junto com o PTB, o PSD e outros partidos, em 1965) e adversário político.

Mas, na época da Frente Ampla (movimento que uniu Carlos Lacerda, da antiga UDN, João Goulart, do antigo PTB de Getúlio Vargas, e Juscelino Kubitschek, do do antigo PSD), a partir de 1966, caminhamos do mesmo lado.

Em meu livro sobre a vida de Carlos Lacerda, "O sonhador pragmático" (lançado em 1992, hoje, na quarta edição), escrevi sobre a importância de José Gomes Talarico para reunir Carlos Lacerda e João Goulart, no histórico encontro de 25 de setembro de 1967, na capital do Uruguai (onde Jango estava exilado, desde 1964).

O encontro teve o ex-ministro Renato Archer como testemunha e representante de Juscelino Kubitschek. Ali, em Montevideu, Jango e Lacerda assinaram nota conjunta, em defesa da Frente Ampla contra o governo militar.

Talarico foi um dos melhores amigos de João Goulart e, ao lado de Jango, participou ativamente da criação do extinto PTB, quando Getúlio Vargas criou o partido, em 1945 ( Getúlio Vargas também criou o extinto PSD, em 1945).

Preso 28 vezes, pelos militares que depuseram João Goulart, José Gomes Talarico contava suas histórias aos amigos, nas confraternizações que começamos a fazer, a partir dos anos 80 (de ex-deputados estaduais e atuais ocupantes de mandatos, na Alerj).

Quando José Talarico morreu, em novembro de 2010, nas vésperas de seu aniversário de 95 anos, sua esposa, Francisca Talarico, tinha preparado uma grande festa, em sua homenagem. Todos os amigos estavam convidados. Mas, infelizmente, fomos surpreendidos com a notícia da morte do jornalista e político histórico.

Além do PTB, em 1945, Talarico ajudou a criar a União Nacional dos Estudantes (UNE), nos anos 30, o Sindicato dos Jornalistas, na década de 40, e o PDT, em 1980.

Filho de um arquiteto importante, de família tradicional de São Paulo, José Gomes Talarico era ainda adolescente, quando ficou fascinado com a liderança de Getúlio Vargas, na revolução de 30.
Rompeu com o pai (que apoiava o partido Republicano, de oposição a Getúlio Vargas), por causa da política, e veio morar no Rio de Janeiro, em 1940.

Começou a trabalhar como jornalista aos 18 anos, no "Correio Paulistano". E, no Rio, trabalhou em "A Noite".

Depois que Getúlio Vargas foi eleito presidente da República, em 1950, Talarico foi trabalhar com Jango, que era o ministro do Trabalho.

Eleito deputado estadual, depois da anistia, em 1982, foi líder do governo de Leonel Brizola, na Assembleia Legislativa.

Talarico, um grande amigo, alegre, jovial, e conciliador, faz muita falta, nos dias de hoje.

* Ex-deputado e empresário.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais