Pelé, Cidadão da Guanabara

.

Considerado um dos jogadores mais famosos do mundo, Edson Arantes do Nascimento, o "Rei Pelé ", 81 anos, enfrenta seus problemas de saúde com a mesma coragem com que começou a atuar nos campos de futebol e estádios, desde a infância e a adolescência.

Internado, novamente, na última quarta-feira (8 de dezembro), no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para dar sequência ao tratamento do tumor de cólon, identificado em setembro desse ano, ele deve receber alta nos próximos dias. É grande a torcida para que Pelé se recupere logo.

Para a maioria dos que amam o futebol, Pelé foi o maior, dentro e fora do campo. Ele reinou durante décadas. Quem chamou Pelé de "Rei", pela primeira vez, foi Nelson Rodrigues, que o comparou a Michelangelo, Homero e Dante Alighieri.

Fonte de inspiração para o jornalismo brasileiro, também foi exaltado por artistas, educadores, compositores e poetas. Ele virou símbolo de grandes lançamentos publicitários, serviu de inspiração para personagens de livros, filmes músicas, etc. A marca Pelé consolidou-se desde os anos 60, quando já estava na Seleção Brasileira e, muito novo, encantou o mundo com sua arte.

Mineiro de Três Corações, Minas Gerais (1940), filho de João Ramos do Nascimento, o jogador Dondinho, e Celeste Arantes, recebeu o nome Edson em homenagem ao inventor americano Thomas Edison (Pelé tinha orgulho desse nome), de quem seu pai era admirador.

O apelido Pelé veio dos tempos da escola.

Depois que a família foi morar em Bauru, interior de São Paulo, Pelé começou a jogar futebol em um time que jogava em terra batida, o Sete de Setembro. Aos 13 anos, passou para a equipe infanto-juvenil do Bauru Atlético Clube (o Baquinho) e conquistou dois campeonatos.

Passou a chamar a atenção, nessa época. Recebeu, em 1956, propostas do Bangu Atlético Clube, mas sua mãe não queria que ele fosse morar com tão pouca idade em cidade grande.

Então, surgiu a proposta para jogar no Santos. Tinha 15 anos, quando assinou contrato com o clube. E, tornou-se, no mesmo ano, o artilheiro do Santos, com 57 gols marcados.

Nesse período, Pelé viajou com o Santos para uma excursão na Europa. Seu gol, na derrota de 3 a 2, contra a Inter de Milão, fez com que fosse aplaudido até pela torcida adversária. Os italianos adoraram.

Destaque nos jogos do Santos, Pelé foi convocado pelo técnico Sylvio Pirillo para jogar na Seleção Brasileira, em 1957. Tinha 16 anos e 9 meses quando fez o seu primeiro gol em uma partida contra a Seleção Argentina, no Maracanã, depois de entrar para substituir o jogador Del Vecchio.

O cronista esportivo Mário Rodrigues, irmão de Nelson Rodrigues, disse, na ocasião, que Pelé era a indicação certa para a Copa.

Quando a Copa do Mundo de 1962 começou, Pelé já era considerado o melhor jogador do mundo. Mas, ele se machucou em uma disputa contra a Tcheco-eslováquia e ficou fora até o final da competição.

Foi substituído por Amarildo. O papel de líder coube a Garrincha e o Brasil venceu a Copa do Mundo de 1962 (o primeiro título, o Brasil conquistou em 1958). Time bicampeão.

Na Copa de 1966, Pelé foi a grande estrela de um time genial, integrado, também, por Gilmar, Djalma Santos, Jairzinho, Tostão e Gerson. Mas, infelizmente, a seleção brasileira foi eliminada na primeira fase. Jogou apenas três partidas.

Nessa época, eu estava em meu segundo mandato deputado estadual. E, era um momento difícil para todos na política, inclusive para Carlos Lacerda e seus seguidores, pois os militares não deixaram que fossem convocadas as eleições presidenciais e só havia pleitos pela via direta para as Câmaras municipais, Assembleias legislativas e Congresso Nacional.

Pouco antes de ser cassado, em 1969, pelo AI-5 assinado em dezembro de 1968 - por participar da Frente Ampla contra a ditadura militar, junto com Carlos Lacerda, Juscelino Kubitschek e João Goulart, entre outros -, tive a oportunidade de ser o autor da proposta (aprovada pela Assembleia legislativa) de conceder o título de Cidadão do Estado da Guanabara ao querido Rei Pelé. Guardo até hoje a camiseta autografada que ganhei de presente dele.

Na Copa do Mundo de 1970, cassado e sem direitos de exercer a política, fui trabalhar com meus irmãos na Imobiliária Nova York. E, fizemos uma linda homenagem a Pelé, estampamos a foto dele em muitos anúncios, com desejos de sucesso à seleção brasileira, na Copa vitoriosa daquele ano inesquecível. O time era formado por Pelé, Rivelino, Jairzinho, Gerson, Carlos Alberto Torres, Tostão e Clodoaldo.

Pelé decidiu se aposentar da seleção brasileira em 1971. Mas, continuou a atuar no Santos. Antes de participar da seleção brasileira de 1970, Pelé fez seu milésimo gol. Em 19 de novembro de 1969, em um jogo contra o Vasco da Gama, no Maracanã. O grande jogador dedicou seu milésimo gol "às crianças, pessoas pobres, velhinhos cegos".

Depois que abandonou os gramados (aposentou-se em 1977, quando jogava no Cosmos, nos Estados Unidos), foi nomeado Embaixador da Boa Vontade da Unesco e, depois, no governo de Fernando Henrique Cardoso, ministro dos Esportes (1995-1998).

*Ex-deputado e empresário.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais