A agência MPM

.

Criador da agência MPM, em 1957, junto com Petrônio Corrêa e Antonio Mafuz , o publicitário Luiz Vicente Goulart Macedo (sobrinho de João Goulart, filho de uma irmã de Jango, Eufrides - Fida - Goulart Macedo, com o empresário cinematográfico Joaquim Faria de Macedo), morreu recentemente (11 de outubro), de pneumonia, aos 90 anos, no Rio de Janeiro.

A MPM, que protagonizou a história da propaganda no Brasil, tinha o primeiro M de Mafuz (Antonio Mafuz), o P de Petrônio Corrêa, e o último M de Macedo.

Gaúcho de São Borja, Luiz Macedo (1931-2021) foi muito querido por todos. Na Imobiliária Nova York, onde Carlos Lacerda foi diretor de relações institucionais, e onde o querido cartunista Lan também trabalhou (no departamento de arte), no final dos anos 60, Luiz Macedo foi contratado para fazer o anúncio da Copa do Mundo de 1970.

Macedo e a Imobiliária Nova York ganharam, com esse anúncio, o primeiro lugar em várias premiações. As medalhas de ouro são guardadas até hoje.

Luiz Macedo era um craque. A MPM foi a maior agência de publicidade do país, entre 1970 e 1990. Sócios de Luiz Macedo e, também, excelentes profissionais, Antonio Mafuz morreu em 2005, e Petrônio Corrêa, em 2013.

A MPM nasceu em Porto Alegre, em 1957, em pleno governo JK. Chegaram a atender, ao mesmo tempo, seis contas de bancos concorrentes. Luiz Macedo se orgulhava de ser sobrinho de João Goulart, que foi vice de JK.

No último ano da presidência de Juscelino Kubitschek, Macedo e seus outros dois sócios inauguraram a filial em São Paulo. O escritório no Rio foi aberto um ano antes, em 1959, sob a direção de Luiz Macedo.

Quando morava em Porto Alegre, estudante de Direito, Luiz Macedo foi locutor de turfe da Rádio Gaúcha. Começou a trabalhar aos 19, no escritório gaúcho da famosa agência internacional Grant Advertising. Lá, ele conheceu Petrônio Corrêa.

No Rio de Janeiro, quando começou a dirigir o escritório da MPM em território fluminense, Macedo pegou a conta da Ipiranga. Em 1959, virou um carioca honorário. Adorava a cidade.

Líder no ranking de faturamento, em 1990, a MPM conseguiu uma receita de 180 milhões de dólares e teve escritórios em todos os estados do Brasil.

Mas, em 1991, a MPM foi comprada pela Lintas Brasil.

De 1975 a 1991 (até ser comprada pela Lintas) a MPM conquistou o primeiro lugar no ranking nacional das agências de publicidade.

A paixão pelo turfe, além da vontade de trabalhar em publicidade, bem ao estilo brasileiro, também uniu os três sócios gaúchos. Tal como Macedo, Antonio Mafuz também começou a carreira, na Rádio Farroupilha, em 1941, como locutor de turfe.

Quando foi para a Rádio Difusora, que era, também, dos Diários Associados, Mafuz começou a agenciar sua própria publicidade. Ele se tornou empresário de suas transmissões. A amizade de Mafuz com João Goulart, em 1950, o aproximou ainda mais de Luiz Macedo, sobrinho de Jango.

Antes de se associar a Luiz Macedo, na MPM, em 1957, Antonio Mafuz assessorou a campanha de Getúlio Vargas à presidência da República, em 1950. Depois que Getúlio Vargas foi eleito presidente, Mafuz trabalhou com Maneco Vargas (filho de Getúlio) na Secretaria de Indústria e Comércio do governo federal, naquela época, no Rio de Janeiro.

Luiz Macedo, na época em que foi trabalhar na Grant (onde conheceu Petrônio), antes da criação da MPM, trabalhou, também, com o jornalista Samuel Wainer (autor da histórica entrevista que lançou a campanha pela volta de Getúlio Vargas ao poder, em 1949). Mas, ficou pouco tempo, pois a ideia inicial era a de abertura de uma sucursal da Última Hora na capital gaúcha. E, então, retornou para a Grant.

Durante o período na Grant, Macedo atendeu a primeira conta de governo da agência, a prefeitura de Porto Alegre. O prefeito era Leonel Brizola.

Todos os que conheceram Luiz Macedo, seus sócios e a MPM têm boas memórias sobre esses personagens da história da propaganda genuinamente brasileira.

Generosos com seus colaboradores, criaram clima de trabalho excelente na MPM.

Entre os grandes escritores de talento que trabalharam na MPM de Luiz Macedo, destaca-se o querido Luís Fernando Verissimo (filho de Érico Verissimo), atualmente com 85 anos. O escritor foi redator da MPM a partir de 1969.

Luiz Macedo foi presidente da Associação Brasileira de Propaganda.

A paixão pelo turfe o levou a dedicar-se, como diretor, ao Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro, nos anos 90.

Após a ditadura em 1964, ele passou por dificuldades para manter a agência. Pelo parentesco com o ex-presidente João Goulart, mas superou os problemas. Continuou a atender as contas do governo militar porque conquistava a todos com a sua competência.

*Ex-deputado e empresário

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais