Filha de 18 anos e filho de nove acusam advogado de abuso em São Paulo

Em Bauru, a 345 km de São Paulo, uma jovem de 18 anos acusou o próprio pai, um advogado de 45 anos, de abuso sexual. Sandro Luiz Fernandes, que já fez parte da Comissão de Direitos Humanos de Ordem dos Advogados, teria molestado a estudante dos 8 aos 16 anos. A situação dele se complicou na tarde desta terça-feira depois que seu outro filho de 9 anos também afirmou ter sido molestado por ele.

Fernandes ainda teria abusado de uma cunhada e uma sobrinha. As primeiras acusações ocorreram há cerca de um mês, quando a filha e a cunhada do advogado procuraram a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e relataram o crime. Segundo elas, que garantem que não chegaram a ser violentadas, o acusado as molestava enquanto elas dormiam ou tomavam banho.

Nervosas, as duas jovens falaram com a imprensa de mãos dadas o tempo todo. Elas decidiram levar a denúncia a publico e falar com a imprensa com a condição de não ter seus nomes revelados. A terceira suposta vítima do advogado, hoje com 14 anos, também teria sido molestada quando tinha apenas 10 anos. Ela, que vive hoje no Paraná, também deve ser ouvida pela DDM.

No final da tarde ontem, a Justiça negou o pedido de prisão temporária feito pela delegada Priscila Bianchini Alferes da DDM. O Juiz Jaime Ferreira Menino, da 2ª Vara Criminal de Bauru, negou a solicitação, entendendo que Fernandes não poderia atrapalhar as investigações já que existe uma medida protetiva proibindo o advogado de se aproximar das vítimas.

Mas com o depoimento dado pelo garoto na manhã de hoje, a delegada informou que poderá pedir novamente a prisão temporária de Fernandes nas próximas horas por estupro de vulnerável, caso haja a comprovação do abuso.

No depoimento, o garoto fez revelações fortes e contou que teria sido abusado pouco antes de Fernandes viajar para Europa. O depoimento foi inteiro acompanhado por uma conselheira tutelar. À tarde, o menino passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) de Bauru.

A delegada pretende ouvir ainda nesta semana a mulher do advogado, Fernanda Fernandes, na condição de investigada. Para Priscila, a esposa de Fernandes foi conivente com os abusos. Além de advogado, Fernandes é conhecido político da cidade e assessor jurídico do Sindicato dos Bancários e dos servidores municipais de Bauru. Os dois filhos de Fernandes estão sob a guarda de uma tia.

De acordo com a delegada, foram apreendidos três computadores na casa do advogado. Os equipamentos foram encaminhados para a perícia. O caso foi registrado pela DDM como atentado violento ao pudor, já que a nova lei de estupro, que abrange o crime mesmo quando não há conjunção carnal, entrou em vigor apenas em 2009.