Em São Paulo, polícia prende advogada e líderes do tráfico do PCC

Seis pessoas foram presas na manhã desta terça-feira, acusadas de pertencer a um esquema de tráfico de drogas mantido pelo Primeiro Comando do Capital (PCC). Na operação, feita pela Polícia Civil em conjunto com o Ministério Público, foram apreendidos sete carros, duas motocicletas, armas e drogas. A Polícia Civil prendeu cinco homens acusados de coordenar o esquema de repartição de drogas para pontos de venda controlados pela facção em Araçatuba e cidades vizinhas e uma advogada acusada de dar apoio aos traficantes da facção.

Contra a advogada, havia apenas um mandado de busca em sua casa, na zona lesta de Araçatuba. Os policias pretendiam apreender computadores e celulares, mas quando entraram na casa, apreenderam, além de dois computadores e celulares, um rádio HT na frequência da Polícia Militar e uma porção de maconha. A delegada foi presa em flagrante por monitoramento clandestino de frequência da polícia.

De acordo com um investigador, que não quis se identificar, esta foi a segunda vez que a advogada foi flagrada monitorando a polícia pelo rádio.

No total, os policiais cumpriram 23 mandados de prisão e de busca e apreensão. Os veículos apreendidos seriam fruto de dinheiro do tráfico ou usados para a comercialização e transporte da droga. O esquema estava sendo investigado pelo Gaeco havia pelo menos cinco meses, por meio de escutas telefônicas.

De acordo com a polícia, o tráfico estava centralizado em Araçatuba, onde os criminosos organizavam a distribuição de maconha, cocaína e crack para as demais localidades.