Resultado do Enem é divulgado com inédita divisão por grupos

Após atrasar por quase dois meses o anúncio, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou na manhã desta segunda-feira as médias das escolas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010. Um dos motivos para a demora na liberação da lista foi o novo sistema de apresentação, alterado para tentar evitar um ranqueamento generalizado. Agora, pela primeira vez a relação leva em conta o índice de participação dos alunos inscritos, o que originou a criação de quatro grupos distintos.

No grupo 1, ficaram as escolas (17,8% do total) que tiveram taxa de presença a partir de 75% dos alunos. No 2, aquelas (20,9%) que tiveram média de alunos participantes entre 50% e 74%. No grupo 3, entraram as instituições (33% das escolas) que tiveram participação de 25% a 49% dos estudantes. E no grupo 4, foram listados os colégios (27,4%) com participação de 2% a 24% dos inscritos. O Ministério da Educação (MEC) não divulgou as médias de estabelecimentos de ensino com menos de 10 alunos - apenas 1% se enquadrou nessa categoria.

>> Confira aqui as notas

>> Melhores públicas no Enem são federais, militares ou técnicas

>> Escolas públicas são maioria entre as que tiveram desempenho abaixo da média

Nesse novo quadro, o colégio privado São Bento, do Rio de Janeiro, foi o que obteve a melhor média entre as escolas do grupo 1. No ano passado, quando ainda era divulgada uma lista geral, a escola obteve o melhor desempenho entre as cariocas, e o terceiro lugar no ranking nacional, mas já havia sido primeira colocada em 2004, 2005, 2007 e 2008. Entre as instituições públicas, o Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa, o Coluni, foi o único a aparecer entre as 10 primeiras.

No grupo 2, o colégio Santo Inácio, privado e também do Rio de Janeiro, ficou com a melhor colocação. As escolas particulares, aliás, ocupam todas as primeiras 15 posições. Nesse grupo, o pior desempenho ficou com o Centro de Ensino Ardalião Américo Pires, do povoado de Três Lagoas do Manduca, zona rural do Maranhão.

O grupo 3 foi o único em que a primeira colocação foi ocupada por uma escola pública. A melhor colocação, neste caso, foi da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Já o último lugar, da escola indígena Dom Pedro I, do Amazonas.

Entre as escolas com menos de 25% de participação, a líder vem do Estado de São Paulo. O COC, unidade Álvares Cabral, obteve a melhor colocação. Em último lugar ficou o Colégio Estadual Agrovila 08, da Bahia. Novamente, as escolas particulares foram a maioria entre as primeiras colocadas. No top 10, somente uma escola é pública: o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Goiás - campus Goiânia.

Participaram das provas do Enem mais de 3,2 milhões de estudantes, dos quais 1 milhão de concluintes do ensino médio regular. Os resultados são calculados a partir do desempenho dos alunos concluintes. O Enem 2010 avaliou as áreas de conhecimento de ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, além da redação.

Segundo o MEC, nos últimos dois anos o Enem viu o número de estudantes concluintes das escolas regulares públicas e particulares subir de 824 mil, em 2009, para 1 milhão em 2010. Enquanto isso, a média obtida por esses estudantes nas quatro provas objetivas passou de 501 para 511 pontos. A meta do Inep, responsável pelo exame, é atingir a média de 600 pontos em 15 anos. Contudo, se forem mantidos os padrões de crescimento, a entidade prevê que seja possível antecipar essa meta em cinco anos.