Após chuvas, governo libera R$ 13 mi e 3t de remédios pra SC

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, informou nesta segunda-feira que o governo federal irá liberar a partir de amanhã R$ 13 milhões para o governo de Santa Catarina e para os municípios atingidos pelas fortes chuvas no Estado.

Na última semana, o Palácio do Planalto já havia anunciado a disponibilidade de R$ 30 milhões, mas esses recursos, que foram comprometidos para outras áreas do Estado, que não as devastadas pelas águas da última semana, só serão liberados nesta segunda.

Diante do cenário de 935.932 pessoas afetadas, 159.490 desalojados e 15.020 desabrigados em todo o Estado, o Palácio do Planalto autorizou que R$ 13 milhões sejam ofertados ao governo estadual e aos 19 municípios em piores situações. Também como forma de socorro aos catarinenses, 3 t de medicamentos serão enviadas ao Estado entre hoje e amanhã.

"A preocupação agora é o envio de medicamentos. A presidente determinou e o ministro Alexandre Padilha, da Saúde, está remetendo hoje para Santa Catarina 1,5 t de medicamentos, amanhã mais 1,5 t. São 3 mil kg de medicamentos que serão distribuídos para os municípios e a Secretaria de Saúde de Santa Catarina", disse o ministro, que participou da reunião semanal de Coordenação Política com a presidente Dilma Rousseff.

"Na semana passada nós empenhamos e estamos hoje liberando R$ 30 milhões para o Estado de Santa Catarina que estão voltados para ações de recuperação. Essas ações se referem a episódios anteriores de quinta e sexta-feira passadas. O governo do Estado e as prefeituras estão fazendo os levantamentos e oportunamente vão apresentar novas demandas para as ações de recuperação. Amanhã vamos fazer uma liberação adicional de R$ 13 milhões, sendo que R$ 3 milhões para o governo do Estado e R$ 10 milhões para 19 municípios considerados pelas informações do Estado e da Secretaria Nacional de Defesa Civil como os mais duramente afetados", disse.

Os novos R$ 13 milhões poderão ser utilizados por gestores do Estado e dos municípios afetados por meio do Cartão da Defesa Civil, que funciona como um cartão de crédito e permite que se rastreiem as compras feitas por ele. Com isso, estima o governo, será possível minimizar eventuais desvios de finalidade e atos de corrupção por parte dos municípios.

"É uma boa ferramenta para assegurar a boa aplicação dos recursos públicos", resumiu o ministro. Os cartões, que serão ofertados pelo Banco do Brasil, terão créditos que variam de R$ 1,5 milhão a R$ 100 mil, dependendo das condições dos municípios.