Edital para concurso do INSS sai até o final do mês

No último dia 13, o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, divulgou a definição de oferta de 2.500 vagas para o próximo concurso do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Deste número, 2.000 vagas são destinadas ao cargo de técnico do seguro social e 500 para médico perito, ampliado por meio da Lei 12.406/11, sancionada pela presidente Dilma Rousseff.

“Está chegando a hora. É necessária a contratação de pessoal no INSS porque muitas das instalações geradas pelo plano de expansão estão vazias e até mesmo preciso para melhorar o atendimento. Mas ainda não temos como precisar quando, pois é necessária a autorização publicada no Diário Oficial. A sugestão é olhar para o último edital e estar garantido perante estas matérias”, afirma Paulo Estrella, diretor pedagógico da Academia do Concurso.

A oferta foi elaborada juntamente com o Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) e divulgada no twitter. O edital deve ser publicado até o final deste mês. Os candidatos interessados devem aguardar a autorização no Diário Oficial, o que poderá ocorrer ainda esta semana, de acordo com a assessoria de imprensa do ministro. Somente após esta etapa, será escolhida a banca examinadora do certame. 

Os cargos serão de técnico, que requer nível médio, têm remuneração de R$ 2.980,00, e para médico perito, que requer nível superior em medicina e inscrição no Conselho Regional de classe, com remuneração de R$ 4.149,89.

O último concurso, realizado em 2008, exigiu dos candidatos a Técnico do seguro social conhecimentos em ética do serviço público, Regime Jurídico Único (Lei 8.112/90), noções da conjuntura e estrutura da Previdência, raciocínio lógico, informática, matemática, atualidades além de conhecimentos complementares e específicos.

Fabiano Rapozo, analista do INSS aprovado em primeiro lugar no último concurso e professor de matemática da rede estadual de ensino, dá algumas dicas: “Aprender a estudar é a primeira coisa que o candidato tem que fazer. Deve preparar um planejamento, traçando um roteiro das disciplinas a estudar. Não pode apenas planejar, tem que cumprir o planejamento a que se propõe. Para que o estudo renda, é preciso que haja condições favoráveis para isso, ou seja, evitar situações que possam interromper os estudos. Caso haja dificuldades na sua residência, vale a pena buscar uma biblioteca ou qualquer outro espaço que proporcione o mínimo de conforto e tranquilidade”.

A professora Adriana Menezes, do Instituto IOB, dá dicas de preparação para a disciplina de previdenciário. "O candidato deve ter a legislação, a constituição federal dos art. 194 ao 204, as leis 8.213/91 e 8.212/91 atualizadas, além do Decreto 3048/99 atualizado.   O Cespe trabalha com situações hipotéticas de aplicação da legislação a casos específicos e também envolvendo a posição atualizada do STJ, e do STF acerca do tema das questões previdenciárias. O aluno tem que está afinado com a jurisprudência. Para isso é importante o candidato tem conhecimento das súmulas editadas por esses tribunais e conhecimento dos últimos informativos", ensina. 

De acordo com Adriana, "o aluno tem que ser prático no seu estudo e sintetizar porque esse é o concurso em nível médio mais esperado dos últimos tempos".  Ela acredita que  será um concurso muito concorrido com uma tendência de  nível do candidato muito alto. 

 "O candidato tem que se dedicar de corpo e alma e  ter calma, pois  conhecimento se adquire estudando". A professora diz que direito previdenciário é uma disciplina que tem peso dois, entretanto o candidato não deve esquecer o restante do conteúdo. 

"Não basta ele se dedicar a apenas uma matéria,;embora direito previdenciário seja o carro-chefe, só ele não faz o aluno passar,  o candidato tem que estudar todo o conteúdo", conclui.