Governo avalia que obras nos aeroportos estão dentro do cronograma

 

Depois de uma reunião fechada na manhã desta sexta-feira, no Ministério do Planejamento, em Brasília, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, negou que o governo esteja preocupado com o andamento das obras nos aeroportos das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Bittencourt defendeu o cronograma de reformas e disse que, na visão do governo, ele está adequado.

O ministro da Aviação Civil - secretaria criada pela presidente Dilma Rousseff - se reuniu por cerca de uma hora com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o presidente da Infraero, Gustavo Valle, e o ministro do Esporte, Orlando Silva.

A reunião aconteceu no dia seguinte à divulgação de um relatório do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que alertou: dez dos 13 aeroportos das cidades-sede da Copa 2014 não estarão prontos a tempo do mundial.

Apesar disso, Bittencourt negou que o levantamento foi abordado na reunião. "A gente não estava discutindo o relatório do Ipea. Na nossa visão, o cronograma de obras está adequado. Vamos adequar os aeroportos que já existem e também tomar outras medidas para atender à demanda, mas não posso falar quais são ainda porque esta é uma reunião preparatória para as demais", disse.

Estudo do Ipea

Na quinta, o Ipea divulgou uma nota técnica com um levantamento dos aeroportos que devem passar por obras para comportar a quantidade de turistas que a Copa do Mundo em 2014 vai atrair para o Brasil.

Segundo o estudo do instituto, dez dos 13 aeroportos das cidades-sede que precisam ser reformados não ficarão prontos a tempo da Copa 2014. De acordo com o levantamento, as obras nos aeroportos de Manaus (AM), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Guarulhos e Campinas (SP), Salvador (BA) e Cuiabá (MT) ainda estão na fase de elaboração dos projetos e, por isso, devem ficar prontos só daqui a 92 meses, período que corresponde a mais de sete anos e meio.

Os terminais de passageiros de Confins (MG) e Porto Alegre (RS) já estão com os projetos prontos e, por isso, terão as obras concluídas mais cedo - ainda assim não será a tempo para a Copa. De acordo com o levantamento, as reformas nesses aeroportos deverão levar 80 meses, ou seis anos e meio, para ficarem prontas.

Dos dez aeroportos em situação crítica, o pior deles é o de Natal, no Rio Grande do Norte. Será necessário construir um novo prédio e, de acordo com dados fornecidos pela Infraero, não há previsão para o fim das obras. Segundo o Ipea, não há tempo hábil para terminar as obras de um novo aeroporto a tempo do Mundial.