Nos EUA, Cabral busca investimentos e nega atraso para 2014

 

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse nesta quinta-feira em evento em Washington que "não há nenhum atraso" em relação à Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

"O único desafio grande, para o qual não consigo enxergar uma solução - mas há a declaração pública da presidente Dilma (Rousseff) de que isso vai ser realizado - é a concessão dos aeroportos", afirmou Cabral.

O governador carioca está otimista em relação às perspectivas de avanço em direção às metas que devem ser alcançadas até 2014. Segundo ele, as áreas de mobilidade urbana, transporte e saneamento, além de obras de infraestrutura e equipamento esportivos estão todas de acordo com o cronograma estabelecido.

A única apreensão de Cabral é a situação dos aeroportos. "São Paulo precisa de um novo aeroporto e o Rio de Janeiro precisa ter seu aeroporto renovado, e o tempo corre contra isso", afirmou.

O governador disse que, se até dezembro deste ano o governo conseguir concluir o processo de concessão de parcerias, os aeroportos poderão ser entregues em condições de receber os visitantes que chegarão ao País para os jogos da Copa do Mundo.

O Rio de Janeiro receberá US$ 102 milhões (cerca de R$ 166 milhões) em investimentos dos setores público e privado entre 2011 e 2013. Isso significa um aumento de 70% em relação aos três anos anteriores.

O anúncio foi divulgado pelo relatório Decisão Rio elaborado pela Firjan (Federação de Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), nesta quinta-feira, coincidindo com a visita do presidente da instituição, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, a Washington.

Vieira está acompanhando o governador do Rio de Janeiro e o empresário Eike Batista, que estão na capital dos Estados Unidos a fim de promover investimentos dos americanos no estado carioca, tendo como meta principal obras de infraestrutura para atender as demandas da Copa Mundial e dos Jogos Olímpicos.

Do total investido, US$ 6,5 bilhões serão direcionados para iniciativas relacionadas à Copa do Mundo, que será realizada em 2014, e aos Jogos Olímpicos, que também serão sediados pelo Rio de Janeiro, em 2016.

A maior parte dos investimentos na área de eventos esportivos será dedicada à infraestrutura para transporte, que receberá US$ 2,9 bilhões. A rede de hospitalidade e turismo se beneficiará de US$ 400 milhões, enquanto que o Comité Olímpico se receberá US$ 700 milhões.

Os US$ 2,5 bilhões restantes serão destinados às partes logísticas e organizacionais dos eventos esportivos. "Ao contrário do que ocorreu em outros países que foram sede de Copa do Mundo e de Olimpíadas, os equipamentos os e locais de eventos serão aproveitados pela população pelo resto da vida", afirmou Cabral.

Batista e Vieira ajudaram o governador a promover investimentos no Rio de Janeiro fazendo, nesta quinta-feira, uma apresentação a empresários americanos na Câmara de Comércio Brasil-EUA, na capital americana, sobre o favorável clima econômico e político do País.

Também foi destacado o sucesso da presença das 15 Unidades de Polícia Pacificadora(UPP) hoje presentes em favelas cariocas em proporcionar segurança e estabilidade às comunidades beneficiadas pela iniciativa. O governador do Rio de Janeiro prometeu aos investidores americanos que, até 2014, a cidade contará com 24 UPPs.