Ex-deputados federais não desocupam apartamento funcional

BRASÍLIA - Pelo menos 15 ex-deputados federais permaneciam, até quinta-feira, de posse dos apartamentos funcionais que deveriam ter desocupado até terça, quando vencia o prazo de 30 dias para que os políticos deixassem os imóveis da Câmara.

Entre os nomes informados em lista da Câmara estão Paulo Rocha (PT-PA), réu no caso do mensalão, o ex-ministro Alceni Guerra (DEM-PR) e Edmar Moreira (PR-MG), que renunciou em 2009 devido à repercussão de notícias sobre a posse de um castelo no interior de Minas. As informações são da Folha de S. Paulo.

Quatro dos 22 ex-deputados que constam na lista devolveram as chaves dos apartamentos na quinta-feira, segundo o jornal. No mesmo dia, a 4ª Secretaria da Câmara despachou notificações informando que, se não devolverem imediatamente os apartamentos, os ex-deputados estarão sujeitos a processos de despejo e envio do caso ao Tribunal de Contas da União, que aprovou acórdão em 2009 que diz que a Câmara "desperdiça recursos públicos" no programa de moradia aos 513 deputados.

A Câmara possui 432 imóveis funcionais de três quartos na região central de Brasília.