DF lança campanha de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes

Segundo lugar em casos de violência contra jovens, DF lança campanha de combate à abuso sexual

 

Segundo lugar entre as unidades da Federação em número de registros de violência contra crianças e adolescentes, atrás apenas do Rio Grande do Norte, o Distrito Federal promete se engajar ativamente na campanha nacional de enfrentamento à violência sexual contra jovens que será lançada esta tarde, no Rio de Janeiro.

Em 2010, em todo o Distrito Federal, foram registrados 269 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes, 526 de violência física ou psicológica, 58 de exploração sexual, três de pornografia e 483 de negligência. Segundo o governador Agnelo Queiroz, os números indicam a falência das políticas públicas que vinham sendo desenvolvidas pelo Distrito Federal para combater o problema.

“Não tínhamos políticas fortes de prevenção [do problema] e de proteção das nossas crianças, mas também [é fato] que, como aqui há um público mais esclarecido, há mais denúncias, o que é um aspecto positivo. Mesmo assim, sabemos que há uma subnotificação e que o número [real de casos] é maior”, afirmou Agnelo ao lançar, na manhã de hoje (25), a campanha no Distrito Federal.

Ao fim da cerimônia de apresentação do material publicitário e da estratégia de divulgação da campanha que visa a motivar a população do Distrito Federal a denunciar os casos de abuso contra menores de idade, Agnelo prometeu reforçar os conselhos tutelares e retomar programas desenvolvidos em parceria com o governo federal que estavam paralisados há algum tempo.

Além disso, seguindo orientações da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, responsável pela campanha nacional, o governo do Distrito Federal também vai fazer uma grande campanha de divulgação do Disque 100, serviço telefônico ininterrupto e gratuito que recebe denúncias de violência contra crianças e adolescentes. As denúncias também podem ser feitas pelo sitewww.disque100.gov.br ou pelo e-mail [email protected]

Várias autoridades no assunto, presentes na cerimônia de lançamento da campanha na capital, destacaram que essa é uma ótima oportunidade de se dar visibilidade a um problema que, por suas próprias características, continua mal dimensionado.

“Esta é a oportunidade de convocarmos toda a sociedade para uma ação conjunta que contribua para reduzir e, se possível, eliminar os casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no Distrito Federal e no Brasil”, concluiu Agnelo.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, Arlete Sampaio, na maior parte das denúncias feitas ao Disque 100 ou de seu equivalente local, o SOS Cidadão, o agressor é um parente ou alguém muito próximo à vítima. Atualmente, no Distrito Federal, há 312 famílias sendo acompanhadas por psicólogos dos centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) devido à exploração sexual de crianças e adolescentes.