Mais de 50 aves ilegais são apreendidas no Mato Grosso

Na manhã desta quinta-feira, a Polícia Militar Ambiental (PMA) de Campo Grande, Mato Grosso, apreendeu 52 aves ilegais e 33 gaiolas em uma casa no bairro Moreninha III. O homem suspeito de ser o dono dos animais conseguiu fugir.

A partir de denúncias que indicavam que uma pessoa estaria criando animais silvestres ilegalmente no local, os policiais se dirigiram à residência indicada. Na casa, eles encontraram uma senhora idosa, mãe do suposto proprietário das aves, que afirmou que seu filho não estava em casa. Os policiais então fizeram contato por telefone com o suspeito, que dizia que tinha documentação ambiental, mas que estaria em Corumbá (MS).

Durante a conversa, os policiais, que estavam em frente à residência, perceberam que havia alguém atrás das gaiolas, no fundo do pátio. Eles entraram na residência e viram que era o suposto proprietário dos da aves. O homem pulou o muro e fugiu.

A PMA apreendeu 52 aves e 33 gaiolas. Parte dos animais estava sem anilhas, indicando que eram ilegais. Mesmo as que estava com anilhas serão checadas junto ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a verificação de possível falsificação.

Caso a PMA consiga qualificar o acusado, ele será autuado administrativamente e receberá multa de R$ 46 mil por manter animais silvestres em cativeiro sem autorização ambiental. Pelo menos quatro aves já foram identificadas como pertencentes à lista de espécies em extinção e, neste caso, a multa é de R$ 5 mil por ave.

O suspeito responderá por crime ambiental. Se condenado, poderá pegar pena de seis meses a 1 ano e meio de detenção. Caso seja constatada a falsificação de alguma anilha, o acusado também responderá por falsidade ideológica. A pena para este crime é de 2 a 6 anos de reclusão.