Pintor é espancado e preso acusado de pedofilia em SP

SÃO PAULO - Um pintor de paredes de 32 anos foi preso em flagrante nesta segunda-feira acusado de tentar estuprar uma criança de nove anos em Presidente Prudente (565 km a oeste de São Paulo). A denúncia foi feita pelo próprio garoto, que conseguiu fugir já sem a roupa e contou aos familiares. Antes mesmo da chegada da polícia ao local, o pintor foi espancado por um grupo de pessoas do bairro onde ele reside.

De acordo com a polícia, o garoto passava pela frente da residência do acusado e foi chamado para se aproximar. Então, o menino foi levado para dentro da casa, onde o pintor o teria segurado pelo braço e obrigado a criança a retirar a roupa, se despindo em seguida.

Ele ainda teria segurado o garoto pelo pescoço de forma violenta e ameaçado a vítima dizendo "se contar a alguém eu mato você".

O menino se aproveitou de um momento em que o suposto agressor soltou seu pescoço e conseguiu escapar, pulando por uma janela e fugindo. Ainda despida, a criança chegou a sua casa e contou o que houve. Um grupo de moradores do bairro se revoltou e foi atrás do pintor. A polícia chegou a tempo de evitar que ele fosse morto por espancamento.

Uma pessoa da própria família disse que ele já teria tentado o mesmo com uma prima. "Ele esperou a menina entrar no banheiro, arrombou a porta e tentou agarrá-la, mas ela conseguiu fugir dele e fez a denúncia", afirmou uma tia do acusado.

Na casa dele, a Polícia Militar (PM) encontrou a roupa e o calçado da criança. Mesmo ferido pela agressão sofrida, ele foi levado sob escolta para o Hospital Regional, onde foi medicado e depois encaminhado para o plantão permanente da Delegacia Participativa, onde foi autuado em flagrante por crime contra a dignidade sexual e por tentativa de estupro de vulnerável.