Divulgadas fotos inéditas dos índios isolados do Acre

SÃO PAULO - A ONG Survival International divulgou, nesta segunda-feira, novas fotos de índios isolados que vivem no Acre, perto da fronteira com o Peru. As fotos foram tiradas pela Fundação Nacional do Índio (Funai), que autorizou a organização, sediada em Londres, a utilizá-las como parte de sua campanha para proteger o território dos índios isolados.

As fotos mostram os índios em detalhe nunca visto antes, e revelam uma comunidade próspera e saudável com cestos cheios de mandioca e mamão fresco, cultivados em suas roças. Alguns dos isolados aparecem nas fotos com roupas e utensílios furtados das casas de brancos e índios da região. Os índios poderão ser vistos no episódio Jungles, do programa Human Planet, da BBC1, na quinta-feira.

A Survival alerta que a sobrevivência da tribo está em sério perigo por causa da entrada de madeireiros ilegais, que estão invadindo o território dos índios isolados no lado peruano da fronteira. As autoridades brasileiras acreditam que o influxo de madeireiros está empurrando a tribo do Peru para o Brasil, e é provável que os dois grupos entrarão em conflito.

Survival e outras ONGs há anos fazem campanha para que o governo peruano aja de forma decisiva para impedir a invasão, mas pouco tem sido feito. No ano passado, uma organização dos EUA, a Upper Amazon Conservancy, realizou o último de vários sobrevoos do lado do Peru, revelando mais evidências de extração ilegal de madeira em uma área protegida.

- É necessário reafirmar que esses povos existem, e para isso apoiamos a divulgação de imagens que comprovam estes fatos. Esses povos têm tido seus direitos mais elementares, sobretudo à vida, ignorados… Portanto devemos protegê-los - afirmou Marcos Apurinã à Survival.

O líder indígena Davi Kopenawa Yanomami também apoia a divulgação das imagens:

- Tem que cuidar e proteger o lugar onde os índios moram, pescam, caçam e plantam. Por isso, é útil mostrar as imagens dos isolados, para o mundo inteiro saber que eles estão lá na floresta deles, e que as autoridades devem respeitar o direito deles de morar lá.

O sertanista José Carlos dos Reis Meirelles, da Funai, explicou que os povos isolados são “meio desconhecidos”.

- É difícil convencer até o próprio estado que eles existem. A partir disso, você demarcar um território maior para eles já é uma dificuldade. É um desafio, porque você vai mexer com um monte de interesses. E o segundo desafio é manter realmente essa terra isenta de interferência externa - assinalou Meirelles.