Justiça determina despejo do ex-dono do Banco Santos

SÃO PAULO - O ex-dono do Banco Santos Edemar Cid Ferreira foi despejado na quinta-feira da mansão em que morava no bairro Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, ele estava em casa por volta das 11h quando o administrador da massa falida do banco e um oficial de Justiça chegaram para fazer cumprir a determinação judicial.

A ordem de despejo imediato foi expedida durante a manhã pelo juiz da 1ª Vara Cível de Pinheiros. Na sentença, que é de dezembro, o juiz havia julgado procedente ação para declarar rescindido o contrato de locação entre a massa falida e o casal. Eles estariam sem pagar o aluguel de R$ 20 mil desde 2004, totalizando uma dívida de R$ 1,727 milhão. 

 

Histórico

O Banco Santos S/A é uma instituição financeira de investimento de atacado, que foi liquidada pelo Banco Central do Brasil em 2004 e que tinha como seu principal controlador o economista Edemar Cid Ferreira. A falência da instituição foi decretada em 20 de setembro de 2005, pela 2ª Vara de Falências e de Recuperações Judiciais da Comarca de São Paulo. Vânio Cesar Pickler Aguiar foi nomeado interventor.

O processo de falência do Banco Santos inciou-se em 12 de novembro de 2004, quando o Banco Central decretou intervenção, pois suas contas estavam deteriorando-se muito rapidamente. Os investidores fizeram saques em massa. O déficit patrimonial do banco estava em R$ 700 milhões.

Após a intervenção, foi feito o recálculo do rombo nas contas do Banco Santos: R$ 2,2 bilhões.