Cinco atleticanos suspeitos de matar cruzeirense se entregam em Minas

Belo Horizonte - Cinco torcedores do Atlético-MG se entregaram no início da tarde desta segunda-feira no Fórum de Lafayette, em Belo Horizonte, acompanhados do advogado Dino Miraglia. Eles são suspeitos de envolvimento na morte do torcedor cruzeirense Otávio Fernandes, 19 anos. Os cinco foram encaminhados ao Departamento de Homicídios e tiveram a prisão temporária decretada.

O crime ocorreu no dia 27 de novembro na saída de um evento de luta livre, em frente a uma casa de shows no bairro Savassi, em Belo Horizonte. Segundo imagens de uma câmera de segurança, o torcedor foi agredido e pisoteado com chutes na cabeça e com uma placa de trânsito. Ele chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a Polícia Militar de Minas Gerais (PM-MG), dentre os suspeitos estão o presidente da torcida organizada Galoucura, conhecido como Boca, e o vice, William Palumbo, o Ferrugem, que nega o crime. Otávio era membro da organizada Mafia Azul, do Cruzeiro.

No último sábado já havia sido preso o diretor de patrimônio da Galoucura, Claudio Henrique de Souza Araújo, o Macalé. Ele foi detido enquanto dormia na sede da torcida. Segundo a PM, foram feitos 11 pedidos de prisão, mas, de acordo com a Justiça, nove mandados de prisão temporária foram expedidos.