Dobra procura por RG na Paraíba e eleitor enfrenta filas

A proximidade das eleições fez o atendimento dobrar nos postos para retirada da carteira de identidade na Paraíba. Na capital, muitos paraibanos chegam a enfrentar filas para conseguir uma ficha e no interior o documento pode demorar até oito dias para chegar. Este ano, o eleitor só vota levando o título e algum documento com foto.

A Justiça Eleitoral, o IBGE e o próprio Departamento de Identificação Civil do IPC da Paraíba não possuem uma estatística de quantos paraibanos acima de 16 anos não possuem o RG ou identidade, documento básico para a retirada de outros com foto como a habilitação e a própria carteira de trabalho.

Mas o fato é que há cerca de um mês os 176 postos de atendimento no Estado e mais seis casas da cidadania e quase 20 Centros Sociais Urbanos estão recebendo uma demanda dobrada para retirada do documento. Nas Casas da Cidadania em João Pessoa, tem gente chegando até de madrugada para pegar fichas que dão acesso ao atendimento.

De acordo com a coordenadora do Departamento de Identificação Civil do IPC, Josefa Pinto, o aumento na procura é mesmo por causa do pleito. "As pessoas solicitam tanto a primeira, quanto a segunda via", diz ela, acrescentando que na capital e em três municípios do interior onde existem Casas da Cidadania o documento demora no máximo 24 horas para ser entregue.

Interior

Não é o que ocorre na maior parte dos municípios, onde uma segunda via do RG pode demorar até oito dias para ser entregue. Josefa admite que a procura de última hora pode prejudicar muitas pessoas que precisam do documento para votar, principalmente, aquelas que não possuem nenhum outro oficial com foto.

Poderia ser esse o caso da dona de casa Mara Verônica Silva que perdeu todos os documentos com fotos há muitos anos. Depois que viu que precisava por causa das eleições, enfrentou a fila do atendimento. "Para votar tem que levar um documento com foto e eu não tinha nada mais. A minha senha é 38 e eu cheguei às seis e pouco da manhã", explica.

O conselheiro tutelar do município de Gurinhém,Claudevan Trajano, teve que vir a João Pessoa junto com o filho menor de idade para a retirada do RG e título do adolescente, mas acredita que no seu município muita gente pode não conseguir a tempo. "Está em cima e pode ser que isso aconteça porque Gurinhém não tem essa facilidade de tirar documentação como identidade e CPF".

O diretor Geral do TRE, Anésio Moreno, diz que a lei será cumprida. Segundo ele, houve campanhas de divulgação há seis meses e a Justiça Eleitoral ainda adiou para a próxima semana o fim do prazo para que o eleitor solicite o título. "Quanto ao outro documento com foto, não precisa ser exatamente a identidade, mas quem não levar os dois não vai votar".