Sargento teria enterrado corpo de mulher em base

Anna Ruth Dantas, Portal Terra

NATAL - O sargento da Aeronáutica Andrei Bratkowski Thies, integrante do Esquadrão de Material Bélico da Base Aérea de Natal, confessou na terça-feira que, após assassinar a mulher Andréia Rosângela Rodrigues, 37 anos, escondeu o corpo em um terreno da própria Base Aérea. Em depoimento de quase cinco horas, o militar detalhou ao delegado Raimundo Rolim os fatos que ocorreram no dia 22 de agosto, data do desaparecimento de Andréia Rosângela.

Segundo Thies, na manhã daquele dia, ele e a mulher tiveram uma "discussão de casal". Ele teria aplicado uma "gravata" na mulher e acabou quebrando o pescoço dela.

Segundo ele, do dia 22 de agosto para o dia 23 a mulher foi mantida morta dentro da casa onde morava o casal, no bairro de Cidade Verde, na cidade de Parnamirim (região metropolitana de Natal). No dia 23, ele teria colocado o corpo em um saco e levado para a Base Aérea de Natal.

O sargento relatou ao delegado que, após seis dias, ele teve receio de que alguém pudesse descobrir o corpo enterrado e, por isso, decidiu desenterrar e levar o corpo para o quintal da casa dos pais, Hamilton e Mariana Thies, no bairro de Ponta Negra, zona sul de Natal.

No entanto, o depoimento do sargento Andrei Thies não foi suficiente para esclarecer todos os fatos que envolvem a morte da gaúcha Andréia Rosângela Rodrigues. "Precisamos agora descobrir de quem o sargento Andrei teve ajuda para ocultar o cadáver", destacou o delegado Raimundo Rolim, descartando que o militar tenha feito todo crime sozinho.

No depoimento prestado na terça-feira, a polícia apontou como contraditório a afirmação do sargento de que teria matado a mulher com o golpe conhecido como "gravata". As primeiras análises da polícia apontam que a vítima sofreu também golpes de facão.

Thies permanecerá preso na Base Aérea de Natal. O pai dele, Hamilton, e o irmão, Rodrigo Thies, estão presos na carceragem da Subsecretaria de Polícia. A mãe do sargento, Mariana Thies, está presa na 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim. Os três familiares do militar responderão por crime de ocultação de cadáver.

A família de Andréia Rosângela conseguiu a guarda provisória da menina de 1 ano, filha dela com o sargento. A criança foi levada hoje de Natal por Alexandre Marotky, irmão de Andréia. A outra filha de Andréia, uma menina de 12 anos, fruto de um relacionamento anterior ao com Andrei, já está no Rio Grande do Sul.