Funasa: Justiça libera 14 dos 31 suspeitos de fraude

Cyneida Correia , Portal Terra

BOA VISTA - A Justiça Federal concedeu nesta terça-feira liberdade a 14 dos 31 presos na Operação Metástase, realizada no último dia 25 em Roraima. Por decisão do juiz federal Helder Girão Barreto, outros 17 investigados tiveram a prisão prorrogada por mais cinco dias para que a Polícia Federal (PF) possa juntar mais provas ao inquérito que investiga o suposto envolvimento dos acusados em esquemas de licitações fraudentas na Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Das 17 pessoas ainda presas, dois estão no Amazonas e um no Paraná. Entre os que tiveram as prisões prorrogadas em Roraima, está o médico Ramiro Teixeira, o engenheiro Zacarias Castelo Branco e o empresário Francisco Assunção Mesquita. A defesa de Ramiro Teixeira diz que ele é inocente e já impetrou habeas-corpus no Tribunal Regional Federal em Brasília pedindo a liberação.

O delegado Ivan Herrera disse que a prorrogação das prisões foi necessária porque a documentação apreendida está em análise e precisa ser confrontada em depoimentos dos presos.

- A medida foi tomada para determinar a participação de cada um na organização, e ainda se eles trabalhavam como quadrilha -, disse.

O suposto esquema de fraudes em licitações da Funasa em Roraima foi descoberto em 2005, por meio de escuta telefônica que investigava lavagem de dinheiro do narcotráfico.

Na última quinta-feira, a Polícia Federal deflagrou a Operação Metástase. No total, 35 pessoas foram presas, entre servidores federais e sócios e administradores das empresas licitantes.