Força Nacional registra 398 ocorrências no Entorno do DF

Agência Brasil

BRASÍLIA - Os 140 soldados da Força Nacional de Segurança que atuam no Entorno do Distrito Federal desde o dia 19 registraram 398 ocorrências na primeira semana. Segundo o comandante da Operação Integrada do Entorno, coronel Weligton Rodrigues, houve três homicídios na região e foram revistados 571 veículos e 123 bares e prostíbulos.

Os policiais fizeram quatro detenções por porte de drogas, recuperaram nove veículos e recapturaram três foragidos. - Onde houve o reforço da Força Nacional, a situação ficou sob controle, dentro dos patamares normais e com uma aceitação boa por parte da população -, informou o coronel ao divulgar o balanço das operações.

O delegado da Polícia Civil de Luziânia, Lideu Chaves Júnior, do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), disse que desde a chegada das tropas o número de ocorrências caiu de 122 para 110. - Pudemos notar uma redução de cerca de 10% e até a gravidade dessas ocorrências foi menor -, acrescentou.

Já a população está dividida quanto ao trabalho da Força Nacional de Segurança. Aline Matos da Silva, moradora do bairro Parque Estrela Dalva Sete, no município de Luziândia, disse que a violência diminuiu: - Melhorou bastante, deu para notar, apesar de os soldados não terem ido ao bairro onde moro.

No entanto, para Ismael Xavier Correia, que mora próximo à BR-040, também em Luziânia, a presença dos policiais na região ainda não reduziu a violência. - Está a mesma coisa. Nessa semana mesmo uma mulher foi assaltada. Três bandidos armados entraram às duas horas da tarde na casa dela e levaram tudo o que coube num Gol vermelho -, denunciou.

Das 10 cidades goianas previstas para receber o reforço, apenas cinco já contam com as tropas, que atuam na chamada região Sul, de Cristalina ao Novo Gama, incluindo Luziânia, Valparaizo e Cidade Ocidental.

As cidades do Entorno Norte Águas Lindas, Santo Antônio do Descoberto, Planaltina de Goiás, Padre Bernardo e Formosa também vão receber as tropas. O coronel Weligton Rodrigues disse que aguarda a chegada de mais soldados, dos 500 previstos para toda a região do Entorno.