Rachadinhas: Flávio Bolsonaro diz que 'perseguição chega ao fim' após decisão do STJ; MP aguarda acórdão

.

Foto: AP Photo / Eraldo Peres
Credit...Foto: AP Photo / Eraldo Peres

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) comemorou a decisão da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que anulou nessa terça-feira (9) todas as decisões de primeira instância tomadas pela Justiça nas investigações do caso das rachadinhas.

Flávio afirmou que a alegada perseguição de membros do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra ele, para “tentar atingir o presidente Bolsonaro”, chegou ao fim com o resultado do julgamento.

“Após quase três anos de investigação ilegal e que, mesmo ante as inúmeras arbitrariedades, vazamentos e covardias, nada foi encontrado contra mim, justiça finalmente foi feita. A perseguição promovida por alguns poucos membros do honrado Ministério Público do Rio de Janeiro, para tentar atingir o Presidente Bolsonaro, chega ao fim”, declarou o senador em publicação no Twitter.

Flávio também trouxe um trecho da Bíblia constantemente usado pelo pai e presidente da República. “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, citou ao finalizar a postagem com o versículo 32 do capítulo 8 do Evangelho de João.

 

 

A Quinta Turma do STJ atendeu hoje a um pedido apresentado pela defesa do senador para anular a investigação das ‘rachadinhas’. Os ministros analisaram um agravo contra a decisão do colegiado que negou, em março, pedidos para invalidar todas as medidas tomadas pelo juiz Flávio Itabaiana, da 27.ª Vara Criminal do Rio, que conduziu o inquérito na primeira instância.

No julgamento, o colegiado definiu que não é possível aproveitar provas colhidas mediante autorização do juiz de primeira instância. Na prática, a decisão desidrata quase toda a denúncia oferecida pelo MP-RJ contra o senador. Com isso, a investigação volta à estaca zero.

O MP-RJ afirmou na noite de hoje que vai aguardar a publicação do acórdão referente à decisão da Corte para “analisar as providências cabíveis”. (Bruno Luiz/Agência Estado)

 

LEIA MAIS

MP-RJ VAI AGUARDAR ACÓRDÃO SOBRE 'RACHADINHAS' PARA DECIDIR SOBRE PROVIDÊNCIAS

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais