Por interferência do governo, PF envia pedido ao STF para definir se Luis Miranda será investigado

PF quer apurar se denúncia feita pelo deputado, de que teria alertado Bolsonaro sobre irregularidades na compra do imunizante indiano, é verdadeira. Caso não seja, ficará caracterizada denúncia caluniosa e Miranda será investigado junto ao presidente

Foto: Agência Senado / Edilson Rodrigues
Credit...Foto: Agência Senado / Edilson Rodrigues

A Polícia Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nessa terça (20) o pedido do ministro da Justiça, Anderson Torres, para que o deputado Luis Claudio Miranda (DEM-DF) seja investigado por suposta denunciação caluniosa contra o presidente Jair Bolsonaro.

O caso foi enviado para a ministra Rosa Weber, que é relatora do inquérito que apura a conduta do presidente. A ministra deve encaminhar o pedido contra Miranda para a análise da Procuradoria-Geral da República (PGR), segundo a mídia.

Após as declarações do deputado e de seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, dizendo que alertaram pessoalmente o presidente em março sobre irregularidades na compra da vacina Covaxin, Bolsonaro passou a ser investigado no Supremo.

A PF, agora, quer que o STF esclareça se há conexão entre os fatos apontados na denúncia do deputado e os fatos apurados no inquérito de Bolsonaro. Se o tribunal entender que há uma ligação, Jair Bolsonaro e Luis Miranda passariam a ser investigados no mesmo processo.

Caso não haja, o deputado seria enquadrado dentro do que se caracteriza como denunciação caluniosa, entretanto, se houver, seria identificado crime de prevaricação por parte do presidente.

Por três meses, o governo nada disse publicamente sobre as denúncias em torno da Covaxin. Depois que os irmãos Miranda a tornaram pública, o Palácio do Planalto já apresentou três versões, de acordo com a mídia.(com agência Sputnik Brasil)