Deputado Daniel Silveira vira réu no STF

O plenário do Supremo Tribunal Federal definiu por unanimidade, após denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República

Reprodução
Credit...Reprodução

Daniel Silveira continuará em prisão domiciliar. Em fevereiro, a PGR o acusou de agressões verbais e ameaças a ministros do STF.

O deputado também é acusado de incitar a violência para impedir o livre exercício dos Poderes Legislativo e Judiciário, e de incitar a animosidade entre as Forças Armadas e o STF.

Em fevereiro de 2021, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou a prisão de Daniel Silveira. "Liberdade de expressão não se confunde com liberdade de agressão", disse Moraes, na época.

O Supremo não julgou as medidas cautelares, ou seja, a prisão em casa com o uso de tornozeleira eletrônica, escreve o jornal O Globo. Um recurso da defesa será analisado em outro momento.

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques, afirmou que o caso de Daniel Silveira não se trata de imunidade parlamentar.

"As expressões, exageros e violência verbal são muito além de expressão. Nesta violência verbal e excessos típicos da caverna da anemia da Internet, esses impropérios, partindo da boca de um deputado federal, se propaga em um espaço que chegamos a ver a incitação da animosidade da corte e das Forças Armadas", disse.

Silveira também é alvo de duas investigações que correm no STF. Uma delas é o inquérito sobre a divulgação de fake news. O outro, mais recente, é o inquérito dos atos antidemocráticos, aberto a pedido da PGR, que investiga pedidos pelo retorno do Ato Institucional Nº 5.(com agência Sputnik Brasil)



Por unanimidade, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), após denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado Daniel Silveira...
Deputado Daniel Silveira


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais