Como na eleição de Biden, Bolsonaro foi o último no pesar por Paulo Gustavo

Foto: Folhapress / Sergio Lima
Credit...Foto: Folhapress / Sergio Lima

Repetindo o comportamento na eleição dos Estados Unidos, em 6 de novembro de 2020, quando o presidente do Brasil foi dos últimos chefes de Estado a cumprimentar o Democrata Joe Binden, deixando para fazê-lo só em 6 de janeiro, quando o Capitólio, após a invasão dos partidários mais inflamados de Donald Trump, referendou o resultado em cerimônia presidida pelo vice-presidente Mike Pence, Jair Bolsonaro foi um dos últimos homens públicos a manifestar pesar entre as milhares de postagens das redes sociais pela morte do ator e humorista Paulo Gustavo por Covid-19, aos 42 anos.

Oficialmente, o Twitter de Bolsonaro está marcando ter sido postado hoje, 5 de maio, às 12:21, quase 14 horas após a primeira postagem de um político, o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, às 22:28 da noite de ontem. Mas o próprio Twitter de Jair Bolsonaro, visto às 19:43 de hoje informa, no alto, ter sido postado “há 20 horas”.

Neste caso, seu voto de pesar estaria atrasado até mesmo em relação ao seu filho 01, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), que manifestou pesar pela morte do ator nascido em Niterói (RJ), ainda na noite de ontem, às 22:41. E o presidente da Câmara, Arthur Lira, postou mensagem às 22:42. Hoje, pela manhã, o ministro Gilmar Mendes, do STF, também tuitou.

Paulo Gustavo teve sua morte anunciada por volta das 21 horas desta 3ª feira, 4 de maio. A primeira manifestação entre virtuais presidenciáveis foi do candidato do PSOL, Guilherme Boulos, às 22:28. Quatro minutos depois o ex-presidente Lula (PT) e o governador de São Paulo João Dória (PSDB) postaram mensagens pesar. Ciro Gomes postou às 22:40 de 4 de maio. A ex-ministra Marina Silva e a deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP) também postaram no mesmo horário (23:01 de 4 de maio), com mais de 13 horas de antecedência em relação ao presidente da República.

A cronologia das mensagens

Guilherme Boulos (PSOL) 22:28 de 4 de maio de 2021.

Luis Inácio Lula da Silva (PT) 22:32 de 4 de maio de 2021.

João Dória (PSDB) 22:32 de 4 de maio de 2021.

Ciro Gomes (PDT) 22:40 de 4 de maio de 2021.

Flávio Bolsonaro (Republicanos) 22:41 de 4 de maio de 2021.

Arthur Lira (presidente da Câmara) 22:42 de 4 de maio de 2021.

Marina Silva (ex-ministra do Meio-ambiente) 23:01 de 4 de maio de 2021.

Jair Bolsonaro (presidente da República) 23:40 de 4 de maio de 21 ou 12:21 de 5 de maio de 2021.

Gilmar Mendes (ministro do STF) 9:58 de 5 de maio de 2021.