Em mensagens hackeadas, Deltan Dallagnol disse que dona Marisa poderia escolher colônia penal para passar a velhice

Comentário jocoso do procurador aparece em um dos diálogos obtidos pela defesa do ex-presidente Lula nos arquivos da Operação Spoofing

José Cruz/Agência Brasil
Credit...José Cruz/Agência Brasil

Novos diálogos entre procuradores da Força-Tarefa da Operação Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF) revelados nesta sexta-feira (12) reforçam o tratamento jocoso pelo qual os membros da Lava Jato se referiam à ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva.

Em conversa obtida pela defesa do ex-presidente Lula que foi periciada e enviada ao Supremo Tribunal Federal em petição apresentada nesta sexta, os procuradores aparecem debochando de Marisa em razão de uma reportagem do jornal "Estado de S. Paulo" sobre o Sítio de Atibaia.

Na matéria, o veículo afirma que Marisa teria montado uma horta no imóvel, que é de propriedade de Fernando Bittar, parente do ex-presidente. Segundo a Lava Jato, o sítio seria de Lula.

Sobre a matéria, Deltan Dallagnol faz o seguinte comentário: “Como ela já sabe fazer horta, a Dona Marisa vai poder escolher uma Colonia Penal Agrícola para passar a velhice dela”. Dallagnol dá a entender que teria extraído o comentário de algum lugar, mas compartilha sem o menor pudor no grupo de procuradores.

Em conversas divulgadas anteriormente, os procuradores já debochavam da primeira-dama.

“Sem dúvida, o sítio é do Lula, porque a roupa de mulher era muito brega. Decoração horrorosa. Muitos tipos de aguardente. Vinhos de boa qualidade, mas mal conservados. Achei o sítio deprimente. Local para pouso de helicóptero confirmado à esquerda da entrada em campo de futebol, para helicóptero pequeno”, afirmou Januário Paludo no grupo de procuradores da força-tarefa no Telegram. (com Revista Forum)