Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

Datafolha: Haddad cresce, mas Bolsonaro mantém a liderança

Candidato do PSL chegou aos 28% das intenções de voto, enquanto petista passou de 13% para 16%

Jornal do Brasil

De acordo com pesquisa divulgada pelo Datafolha nesta quinta-feira (20), o candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) foi o que mais cresceu em relação à última pesquisa. Na última sexta-feira (14), Haddad estava empatado com Ciro Gomes (PDT) com 13% das intenções de voto e hoje, chegou aos 16%. 

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, também registrou um aumento nas últimas semanas e passou dos 26% aos 28% das intenções de voto. Ciro Gomes manteve o percentual da semana passada (13%), assim como Geraldo Alckmin, do PSDB, que continua com 9% das intenções de voto. 

Já Marina Silva, da Rede, teve uma queda nas intenções de voto indo dos 8% para os 7%. 

O levantamento ouviu 8.601 eleitores entre 18 e 19 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo e registrada na Justiça Eleitoral.

Confira o resultado da pesquisa para cada candidato:

Jair Bolsonaro (PSL): 28%

Fernando Haddad (PT): 16%

Ciro Gomes (PDT): 13%

Geraldo Alckmin (PSDB): 9%

Marina Silva (Rede): 7%

João Amoêdo (Novo): 3%

Alvaro Dias (Podemos): 3%

Henrique Meirelles (MDB): 2%

Vera Lúcia (PSTU): 1%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

Cabo Daciolo (Patriota): 0%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Eymael (DC): 0%

Branco/nulos: 12%

Não sabe/não respondeu: 5%

Segundo Turno

O presidenciável Ciro Gomes, do PDT, é o único candidato que venceria todos os adversários no segundo turno da eleição, segundo pesquisa da Datafolha, divulgada na madrugada desta quinta-feira.

Na segunda etapa da disputa, Ciro tem 45% das intenções de voto, uma vantagem de seis pontos sobre Jair Bolsonaro (PSL), com 39%.

Em outros cenários para o segundo turno, Ciro ganharia de Fernando Haddad (PT), por 42% a 31%, de Geraldo Alckmin (PSDB), por 41% a 34%, e de Marina Silva (Rede), por 45% a 31%.

O levantamento também mostra que, no segundo turno, Bolsonaro empataria com Haddad, com 41% cada, e ficaria tecnicamente empatado com Marina (42% a 41%) e Alckmin (39% a 40%, para o tucano).

Alckmin, por sua vez, venceria Haddad (39% a 35%) e Marina (39% a 36%).

Veja os números:

Bolsonaro 42% x 41% Marina (branco/nulo: 16%; não sabe: 2%)

Ciro 41% x 34% Alckmin (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Alckmin 40% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)

Alckmin 39% x 36% Marina (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)

Ciro 45% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 14%; não sabe: 2%)

Alckmin 39% x 35% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 3%)

Haddad 41% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 2%)

Ciro 45% x 31% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Marina 37% x 37% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 2%)

Ciro 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)

Rejeição

Líder no cenário de primeiro turno, o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, viu sua rejeição oscilar levemente para baixo em relação ao último levantamento, divulgado no último dia 14, informou o Datafolha. Os eleitores que não votam de jeito nenhum no militar passaram de 44% para 43%. Já a rejeição ao candidato do PT, Fernando Haddad, cresceu de 26% para 29%.

A rejeição a Ciro Gomes (PDT) oscilou de 21% par 22%, a de Geraldo Alckmin (PSDB) passou de 25% para 24%. A de Marina Silva (Rede), de 30% para 32%.

O total dos que não votam de jeito nenhum em Cabo Daciolo (Patriota) oscilou de 18% para 19%. Em Vera Lúcia (PSTU), permaneceu em 19%. Em Guilherme Boulos (PSOL) ficou em 18%. O de Henrique Meirelles (MDB) se manteve em 17% e a de João Amoêdo (Novo), em 15%.

O número de eleitores que rejeitam todos os candidatos permaneceu em 4%, enquanto os que votariam em qualquer um, em 2%. Não souberam ou não opinaram se mantiveram em 5%.

Com Estadão Conteúdo



Recomendadas para você