Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

Haddad descarta indulto a Lula se for eleito presidente

Jornal do Brasil

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, descartou enfaticamente nesta terça-feira a possibilidade de outorgar indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se for eleito em outubro.

"Não haverá indulto", declarou à rádio CBN e ao site G1 sobre a possibilidade de conceder uma medida favorável ao líder da esquerda, que cumpre atualmente mais de 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

"O Lula não vai a abrir mão da defesa da sua inocência. Ele é o primeiro a dizer 'eu não quero favor, eu quero que os tribunais brasileiros e os foros internacionais reconheçam que fui vítima de um erro judiciário'", assegurou Haddad.

Macaque in the trees
Haddad admitiu pedir apoio do PSDB no segundo turno para evitar mal maior (Foto: Reprodução)

O ex-prefeito de São Paulo afirmou na segunda-feira, após visitar Lula na prisão de Curitiba, que o ex-presidente "é um interlocutor permanente de todos os líderes do partido e nunca deixará de ser".

Haddad, de 55 anos, foi indicado na semana passada como candidato do PT depois que a candidatura de Lula foi impugnada pela justiça eleitoral.

"Eu como cidadão vou me manter na campanha pela liberdade do presidente", indicou na entrevistas desta terça.

Haddad é apontado com 17,6% das intenções de voto no primeiro turno da eleição, em 7 de outubro, atrás de Jair Bolsonaro, com 28,2%, segundo pesquisa do instituto MDA divulgada ontem.

Haddad se distanciou de outro líder do PT, Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais, que afirmou que se Haddad for eleito, "assinará no primeiro dia de seu governo um indulto para o presidente Lula".

"Pode ser que ele tenha o desejo que isso aconteça, mas acontece que nunca conversei com ele sobre isso. Aliás, nunca conversei com ninguém do PT", afirmou.

"É o presidente da República que tem a prerrogativa de analisar a possibilidade de um indulto", insistiu Haddad.

 

arc/js/mls/mr



Recomendadas para você