Governo anuncia nova operação na Amazônia para conter desmatamento com custo de R$ 50 milhões

Desde 2019, foram autorizadas duas incursões das Forças Armadas na Amazônia, chamadas Verde Brasil 1 e 2

Reuters/Ueslei Marcelino
Credit...Reuters/Ueslei Marcelino

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, anunciou que uma nova operação das Forças Armadas para combater crimes ambientais na região da Amazônia começará a partir da próxima semana, com duração de dois meses e custo avaliado em R$ 50 milhões.

Segundo Mourão, a operação Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi autorizada pelo presidente, Jair Bolsonaro, e terá seus custos garantidos pelo Ministério da Economia.

"Está autorizada pelo presidente, conversei com ele ontem [10]. Ele autorizou, já estamos fechando o planejamento. Falei com o ministro [da Economia] Paulo Guedes. O recurso, em torno de R$ 50 milhões para fazer isso aí pelos próximos dois meses, ele disse que isso aí não é problema. Então, agora, a gente precisa fechar onde vai ser a principal área de operações", disse Mourão.

Desde 2019, foram autorizadas duas operações das Forças Armadas na Amazônia, chamadas Verde Brasil 1 e 2. De acordo com o monitoramento de focos ativos do Programa Queimadas, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a Amazônia teve 1.166 focos de queimada somente em maio, recorde para o mês desde 2008. De janeiro até agora, já são 4.677.

No entanto, a quantidade de pessoas envolvidas na operação ainda está para ser definida pelo Ministério da Defesa. O vice-presidente afirmou que o mais provável é que sejam usados os militares das brigadas de Marabá (PA) e de Rondônia, porém, admitiu que este efetivo pode não ser suficiente, segundo a mídia.

Mourão também destacou que é preciso que órgãos ambientais "cheguem junto" para operação poder ter sucesso.

"Preciso que o Ibama e o ICMBio cheguem junto, porque senão, não tem sucesso", disse o vice-presidente.

A GLO na Amazônia começou em maio do ano passado e foi prorrogada três vezes. O fim dela, por decreto, já estava previsto para 30 de abril. É a GLO que permite a atuação das Forças Armadas na região.

No final de maio, o ambientalista Miguel Scarcello disse que a Amazônia pode virar uma savana em 30 anos se o atual ritmo de desmatamento continuar, e chamou atenção de que somente uma "mudança de postura política" pode reverter o processo de degradação do bioma amazônico. (com agência Sputnik Brasil)



Vice-presidente do Brasil anuncia nova operação na Amazônia que será financiada pelo Ministério da Economia. A ideia da missão é combater os focos de desmatamento na...
Vice-presidente Hamilton Mourão