Em proposta de delação, viúva de Adriano aponta quem mandou matar Marielle, diz 'Veja'

Julia Mello Lotufo detalha uma série de assassinatos envolvendo o seu ex-marido e lista autoridades que recebiam suborno

Foto: Dayane Pires/ Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Credit...Foto: Dayane Pires/ Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Daniel Pereira: As circunstâncias das mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018, e do ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, em fevereiro de 2020, ainda não foram totalmente esclarecidas. O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro não chegou até agora aos mandantes dos assassinatos de Marielle e de Anderson. Já o MP da Bahia tenta desvendar se Adriano foi morto numa troca de tiros com a polícia, conforme a versão oficial, ou torturado e executado, como alega a família dele. Não faz muito tempo esses personagens quase acabaram associados quando autoridades lançaram a suspeita de que o ex-capitão participou da morte da vereadora, hipótese que depois foi descartada pelos investigadores. Agora, no entanto, a sombra de Adriano está de volta ao caso. O motivo é o acordo de delação premiada que a viúva dele, Julia Mello Lotufo, está negociando. Em conversas com promotores do Rio, ela revelou quem foi o mandante da execução de Marielle e Anderson.

A matéria circula na revista "Veja" desta semana.

Macaque in the trees
Adriano da Nóbrega (Foto: Reprodução)

 



Adriano da Nóbrega
A vereadora Marielle Franco foi assassinada no Rio de Janeiro