Oitenta anos de Noel, o Poeta da Vila

N aquele dezembro de 1990, noel rosa, se estivesse vivo, completaria 80. nas páginas do jb da época, uma homenagem ao poeta da vila foi feita para relembrar a vida do célebre compositor .

A vida de noel, apesar de breve – morreu aos 26 anos, vítima de tuberculose incurável, devido à sua vida boêmia –, foi densa e bem vivida. sua biografia foi estudada e relatada por muitos escritores que, a cada lançamento, descobriam uma nova faceta do intenso compositor.

Noel de medeiros rosa nasceu em 1910 no rio de janeiro, em parto difícil. para fazê-lo vir ao mundo, os médicos precisaram utilizar o temido fórceps – instrumento ginecológico que auxilia a retirada do feto –, o que acabou afundando seu maxilar. andando pelos bares de vila isabel, noel aprendeu a tocar bandolim e tomou gosto pela música, tornando-se célebre por fazer a união do samba do morro com o do asfalto. na vila, foi músico e poeta. para essa vila escreveu quatro belos sambas. era um crítico do cotidiano, e em suas letras transparecia o humor seco e sarcástico, assim como seu amor pelas mulheres.

Seu primeiro sucesso, com que roupa? , surgiu das suas andanças pela cidade, e em suas ruas logo se propagou na boca dos foliões, no carnaval de 1931. depois deste sucesso, muitos outros vieram. deixou de herança para a música popular brasileira mais de 100 canções. em 1937, morreu como convinha: feliz e cantando.

A vila inteira desceu embalada por sua melodia, saudando aquele que um dia foi seu maior amante.