MUNDO

Itália alerta para risco de guerra no Mar Vermelho

Região é palco de tensão devido a ataques de houthis

Por JB INTERNACIONAIS
[email protected]

Publicado em 10/01/2024 às 09:21

Alterado em 10/01/2024 às 09:21

Houthis protestam contra operação internacional para garantir segurança no Mar Vermelho Foto: Ansa

O ministro da Defesa da Itália, Guido Crosetto, alertou nesta quarta-feira (10) para o risco de o Mar Vermelho se tornar uma "terceira frente de guerra", juntando-se aos conflitos na Ucrânia e no Oriente Médio.

A região tem sido palco de uma tensão cada vez maior nas últimas semanas, com ataques frequentes dos rebeldes iemenitas houthis, aliados do Hamas e do Irã, a navios mercantis ocidentais ou com destino a Israel.

"Eu fui o primeiro a lançar o alarme sobre o Mar Vermelho, é um problema enorme e uma consequência de outros focos. Não gostaria de abrir uma terceira frente de guerra neste momento", disse Crosetto durante uma audiência na Câmara dos Deputados.

"Gostaria de alcançar a segurança na passagem do Mar Vermelho sem a abertura de uma nova frente", acrescentou.

O ministro também foi questionado por que a Itália não aderiu formalmente à Operação Prosperity Guardian, lançada pelos Estados Unidos e com a participação de outros países para garantir a segurança do comércio no Mar Vermelho.

"A Constituição diz que uma nova missão internacional precisa da aprovação do Parlamento e de um financiamento próprio. Se decidirmos participar, será uma decisão que passará pelo Conselho dos Ministros e que será votada pelo Parlamento", explicou Crosetto.

Apenas desde a última terça-feira (9), a Marinha dos EUA interceptou 24 mísseis e drones lançados pelos houthis a partir do Iêmen. Ao mesmo tempo, a União Europeia também estuda a criação de uma missão para a segurança no Mar Vermelho. (com Ansa)

Tags: