MUNDO

Itália tem 'boom' de bilionários; Ferrero é mais rico do país

Ranking da Forbes diz que magnata do chocolate tem US$ 39,1 bi

Por JB INTERNACIONAL
[email protected]

Publicado em 14/12/2023 às 18:35

Alterado em 14/12/2023 às 18:35

Giovanni Ferrero é o homem mais rico da Itália, segundo a Forbes Foto: Giuseppe Cacace/AFP

Em 2023, a guerra na Ucrânia fez disparar o preço do gás e esfriou as casas dos italianos. A inflação estrangulou os carrinhos de compras.

O aumento das taxas de juros tornou impossível para muitos acessar um empréstimo hipotecário. Mas os ricos estão cada vez mais ricos.

O cenário é certificado pelo ranking da Forbes dos bilionários italianos, que lista 70 bilionários. O total de suas fortunas é de US$ 230,1 bilhões, quase US$ 70 bilhões a mais do que no final de 2022.

Um aumento de 30% não é nada mal, considerando que um BTP de dez anos (investimento no Tesouro italiano) aumenta o capital em cerca de 4% ao ano.

Neste ano, Giovanni Ferrero foi confirmado mais uma vez como o homem mais rico da Itália, com uma fortuna de US$ 39,1 bilhões de dólares.

Mas o clube italiano se expandiu este ano com 20 pessoas a mais em comparação com o ano passado, atingindo um novo recorde de 70 bilionários.

O "Mister Nutella" (ou "Mister Ferrero Rocher", a depender do gosto) também se destaca no ranking mundial, ocupando o 32º lugar e sendo o quinto na Europa, atrás dos proprietários dos impérios Lvmh (Bernard Arnault), Zara (Amancio Ortega), L'Oréal (Françoise Bettencourt Meyers) e Lidl/Kaufland (Dieter Schwarz).

Em segundo lugar na Itália está Giorgio Armani, com uma fortuna de US$ 12,9 bilhões, equivalente a menos de um terço da de Ferrero. Pela primeira vez, o pódio é completado por Piero Ferrari, filho do fundador Enzo, com US$ 7,6 bilhões.

No quarto lugar está uma mulher, Massimiliana Landini Aleotti, proprietária da empresa farmacêutica Menarini, com uma fortuna de US$ 6,8 bilhões. Logo atrás está Sergio Stevanato, presidente emérito do Stevanato Group, que, graças aos frascos de vidro e cartuchos para canetas de insulina (vendidos em todo o mundo), alcançou uma fortuna de US$ 6,7.

Todos os três bilionários no pódio estão mais ricos do que no ano passado. A fortuna de Ferrero aumentou US$ 4,5 bilhões em relação ao ano anterior. Isso se deve ao crescimento de seu grupo, que no último balanço, publicado em fevereiro, viu o faturamento subir para 14 bilhões, com um aumento de 10,4% em relação ao ano anterior. Foram esses os resultados que levaram Ferrero a conceder aos funcionários um bônus de até 2.450 euros no salário de outubro.

Armani tem US$ 6 bilhões a mais do que há um ano. Ferrari viu sua fortuna subir mais de US$ 3 bilhões nos últimos 12 meses, graças ao crescimento de 61% das ações da montadora, da qual possui cerca de 10%.

Em sexto lugar estão os cônjuges Miuccia Prada e Patrizio Bertelli (US$ 4,5 bilhões), seguidos por Giuseppe De'Longhi (US$ 4,4 bilhões). Em nono está Giuseppe Crippa (US$ 4,1 bilhões), fundador da Technoprobe, um dos dois grandes fabricantes mundiais de placas para testes de microchips.

Fechando o top 10, em 10º lugar, há um empate entre 11 bilionários, todos com uma fortuna de US$ 4 bilhões. Incluindo os oito herdeiros de Leonardo Del Vecchio: os filhos Claudio, Clemente, Leonardo, Luca, Marisa e Paola, a viúva Nicoletta Zampillo, e Rocco Basilico, nascido do casamento anterior de Zampillo com o banqueiro Paolo Basilico.

No valor de US$ 4 bilhões estão também o construtor e editor Francesco Gaetano Caltagirone, o presidente do Campari Group, Luca Garavoglia, e o novo nome que ocupa a posição mais alta na classificação: Giancarlo Devasini, diretor financeiro da Tether, uma empresa de stablecoin sediada nas Ilhas Virgens Britânicas.

Entre os herdeiros de Berlusconi, Marina e Pier Silvio estão em 38º lugar, enquanto Barbara, Eleonora e Luigi estão em 67º. (com Ansa)

Tags: