2020 vai passar em branco para o Flamengo?

Ao contrário de 2019, quando foi campeão de quase tudo o que disputou, o ano de 2020 do Flamengo, até agora, não deu muitos motivos para o torcedor comemorar Foto: Instagram

Flamengo
Credit...Flamengo

O Flamengo entrou na temporada 2020 com o merecido título de “time a ser batido” para acompanhar outros dois, o da Libertadores e do Brasileirão. Em poucos meses, porém, o gigante carioca se viu eliminado de quase todas as competições que ambicionava ganhar e, entrando na reta final da temporada, disputando o título brasileiro mas tropeçando onde não deveria tropeçar.

É difícil tentar explicar por que a máquina de vencer e golear do técnico Jorge Jesus, em apenas um ano, se tornou um time que, embora ainda muito bem e esbanjando tanto em qualidade dentro de campo quanto planejamento e saúde financeira do lado de fora, se vê lutando para superar rivais com problemas nitidamente mais sérios.

Troca de técnicos, saídas conturbadas de jogadores, motivações extra-campo (inclusive na Justiça) e, naturalmente, os efeitos da pandemia da covid-19 todos compõem uma colcha de retalhos de informações que, olhando de longe, mostra que, querendo ou não, o time do Flamengo decepcionou seu torcedor apaixonado em 2020.

A seguir, então, leia mais sobre o Flamengo para tentar entender o que se pode aprender com essa temporada tão diferente da anterior.

Dá para salvar o ano?
Interrompida em meados de março e retomada apenas na metade final de junho, a temporada do Flamengo vinha muito bem no seu início, com uma campanha rotineiramente forte no Campeonato Carioca (e que terminaria em título, já depois do retorno da paralisação).

Os dois primeiros jogos na Libertadores da América também foram de pura alegria. Depois da pausa por conta da pandemia, porém, o Flamengo viu seu primeiro tropeço, diante do Independiente del Valle – um 5x0 que assustou os torcedores que sonhavam com o bicampeonato.

É verdade que a eliminação na Libertadores só veio nas oitavas de final, quando o time carioca perdeu para o Racing nos pênaltis em pleno Maracanã, mas a decepção já era generalizada. Somado isso com a queda na Copa do Brasil diante do São Paulo, ainda nas oitavas, deixou todos os torcedores preocupados que 2020 pudesse acabar sem título.

A única coisa entre essa possibilidade e a concretização do fato é o Campeonato Brasileiro. Depois de disputar a liderança com o São Paulo por várias rodadas, o Flamengo se viu em queda de produção, especialmente entre o fim de outubro e começo de novembro e, depois, na época da virada do ano.

O sonho de defender o título ainda não morreu; o São Paulo praticamente deu adeus às chances de troféu, mas surgiram Atlético-MG e, principalmente, Internacional como principais candidatos ao troféu.

O Rubro-Negro tem boas chances, especialmente porque joga com o Inter na penúltima rodada, mas não depende mais só de si mesmo, e ainda por cima está enfrentando problemas com lesões. Isso pesa na consciência do torcedor tanto quanto na dos jogadores.

Pensamento de longo prazo
Com o Palmeiras ocupado demais pensando na Copa do Brasil e no Mundial de Clubes, o Flamengo ganha mais destaque quando o assunto é pensamento em longo prazo.

Dono de uma das melhores saúdes financeiras do futebol brasileiro, o clube da Gávea tem tantos motivos para planejar o futuro com ambição quanto tem para ficar decepcionado que as coisas não tenham saído como planejado por agora.

Já não é mais possível dizer que o técnico Rogério Ceni esteja se adaptando ao time e vice-versa; as conversas de bastidores, na verdade, falam de desconforto no vestiário e as perigosas panelinhas, que tantas e tantas vezes racharam elencos de muita qualidade.

É difícil saber como será a temporada 2021 completa do Flamengo até que a atual esteja posta para trás, mas cautela é bem-vinda num time que, ao entrar confiante demais na que está acabando, parece ter tropeçado nas próprias pernas. Mesmo assim, não será incomum ver o time sendo um dos favoritos nas casas de apostas esportivas. Quem tem Gabigol, Bruno Henrique, Gerson e companhia merece respeito.