O piloto de Fórmula 1 e o sangue do papa mais amado

TERÁ EFEITO muito mais psicológico do que físico a gota de sangue do papa João Paulo II entregue ao piloto polonês de Fórmula 1, Robert Kubica, que sofreu grave acidente automobilístico e está internado num hospital italiano. segundo o cardeal Stanislaw Dziwisz, arcebispo de Cracóvia (cidade na qual Karol Wojtyla ocupou o mesmo posto), o relicário contendo a gotícula do papa morto em 2005 e um fio de tecido de uma veste usada por ele, poderá ajudar na cura.

O acidente com o piloto da Lotus-Renault foi gravíssimo.

Por pouco, Kubica não perdeu a mão direita nem ficou paraplégico. Não se sabe nem se voltará a pilotar profissionalmente, embora os médicos atestem sua recuperação como boa depois das sete horas de uma complicada cirurgia.

É sabido até pelos mais céticos que a fé é um importante componente psicológico. As igrejas estão cheias de testemunhos sinceros de recuperações surpreendentes conseguidas com o componente do determinismo espiritual.

Dependendo da relação do piloto acidentado com as religiões, o relicário com uma porção do sangue e da roupa do mais amado e popular dos papas do século 20 pode ser um excelente combustível para a recuperação.

João Paulo II, antecessor do sisudo Bento XVI, será beatificado no dia 1º de maio, por ter feito o milagre de curar a freira francesa Marie-Simon-Pierre do mal de Parkinson. O passo seguinte será sua canonização. Mais um motivo para Kubica guardar o relicário para o resto da vida.