Professor brasileiro chefiará comissão da ONU de inquérito para Síria

O professor brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro será o presidente da Comissão de Inquérito Independente da ONU para a Síria. Ele chefiará uma equipe de três relatores que irão apurar alegações de violações de direitos humanos no país.

Pinheiro foi nomeado nesta segunda-feira como o chefe de um painel que inclui a acadêmica turca Yakin Ertuerk e a americana Karen AbuZayd, ex-comissária da Agência da ONU de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa.

Tropas do Governo

Ex-funcionário da Universidade de São Paulo, Paulo Sérgio Pinheiro já foi relator especial para Mianmar, a antiga Birmânia, e também presidiu um estudo sobre violência contra crianças, encomendado pelo ex-secretário-geral Kofi Annan.

Segundo a ONU, pelo menos 2,6 mil pessoas podem ter morrido na Síria por causa de confrontos entre tropas do governo e opositores do presidente Bashar al-Assad.

Os protestos começaram em meados de março como parte de outras revoltas no Oriente Médio por democracia.

Vítimas

O envio de uma missão de inquérito à Síria foi decidido pelo Conselho de Direitos Humanos. As forças do governo são acusadas de assassinatos, espancamentos e torturas. Há relatos de que crianças e até bebês teriam sido vítimas dos maus tratos.

Mas o governo sírio afirma que o número de mortos é menos que 1,5 mil. Segundo um representante sírio na ONU, a resolução sobre o envio da comissão é “desequilibrada e 100% política”.

O Conselho espera um relatório sobre o trabalho da comissão até o fim de novembro.