Otan garante que Kadafi não é alvo dos ataques

O dirigente líbio Muamar Kadafi não se constitui em um alvo para a Otan, afirmou nesta terça-feira o porta-voz da operação "Protetor Unificado" da Aliança Atlântica, o coronel Roland Lavoie.

"A Otan não visa a indivíduos. Kadafi não se constitui em um alvo", declarou à imprensa o coronel canadense no quartel-general da operação em Nápoles (sul da Itália), transmitida na sede da Aliança Atlântica em Bruxelas.

>> Relatório brasileiro denuncia 'abuso de poder' da Otan na Líbia

Lavoie disse, no entanto, que as batalha nas ruas de Trípoli, que se acentuaram nesta terça-feira ao redor do quartel-general de Muamar Kadafi, são o capítulo final para o líder líbio.

A porta-voz-chefe da Otan, Oana Lungescu, afirmou que "remanescentes do regime de Kadafi ainda lutam uma batalha perdida". A Otan confirmou que empregou aeronaves para sobrevoar Trípoli nesta terça-feira, mas não confirmou que bombardeou o quartel-general de Kadafi. Contudo, a entidade diz que efetuará bombardeios se os militantes pró-Kadafi seguirem lutando.

Lavoie afirmou que a situação na Líbia ainda é complexa e perigosa e que a entidade está investigando se foram realizados ataques a civis. "Nossa missão na Líbia ainda não terminou", disse. Ele também pediu aos militantes pró-Kadafi que abandonem o conflito e entreguem as armas.

Ele informou ainda que as forças do regime sofreram severas baixas devido a deserções.