Mulheres são vítimas de estupros a caminho de campos de refugiados

Assolada pela fome, a Somália tem que lidar ainda com relatos constantes de mulheres e meninas que estariam sendo estupradas a caminho dos campos de refugiados no Quênia. Os testemunhos denunciam abusos tanto por parte das forças do Governo Federal de Transição (GFT) quanto dos militantes Al-Shabaab, opositores ao governo. As informações são da ONU Brasil.

A Representante Especial da Secretaria-Geral para a Violência Sexual, Margot Wallström, expressou suas preocupações com o país ontem, quando revelou também que membros de grupos armados têm sequestrado meninas para casamentos forçados.

 "Eu peço a todas as partes do conflito que parem imediatamente com estas graves violações dos direitos humanos", disse Wallström.

"Ao tentarem chegar a Dadaab – o maior campo de refugiados do mundo – as esperanças dessas mulheres de encontrar segurança têm muitas vezes sido ofuscadas por novos perigos e dificuldades", continuou.

Ainda segundo a representante, para combater a violência sexual é preciso obter mais informações sobre os abusos. Wallström pediu também uma administração mais eficaz nos campos de refugiados, além de assistência às vítimas.