Premier britânico pode acionar Exército se houver novos distúrbios

Cameron disse que atos de vandalismo não têm relação com a política

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse nesta quinta-feira, em uma sessão extraordinária no Parlamento, que pode considerar a ajuda do Exército no caso de novos tumultos e depredações nas ruas do Reino Unido. "É responsabilidade do governo assegurar que qualquer contingência futura seja avaliada, incluindo se há tarefas que o Exército pode assumir", afirmou Cameron.

Ele anunciou que o governo também dará à polícia poderes para exigir que as pessoas retirem proteções do rosto. 

Ainda de acordo com o premier, os distúrbios que sacudiram Londres e outras grandes cidades inglesas durante quatro dias não têm relação com a política nem com os protestos, e sim eram destinados a roubar.

"Os distúrbios não eram por política nem por protesto, eram para roubar", declarou Cameron no Parlamento, depois que os legisladores interromperam as férias de verão para participar de um debate sobre os piores saques e atos de violência em várias décadas.

A maior presença policial e a chuva intensa que caiu na noite desta quarta-feira em algumas partes do país ajudaram a evitar um quinto dia de vandalismo. Em Londres, a Scotland Yard prendeu mais de 800 pessoas por suposto envolvimento em atos violentos.