Explosões atingem prédios do governo em Oslo e matam sete

Uma grande explosão atingiu o centro de Oslo, capital da Noruega, deixando ao menos sete pessoas mortas. As autoridades confirmaram que foi uma bomba, mas ainda não falam em atentado terrorista. O incidente ocorreu em um quarteirão onde estão localizados vários prédios do governo, inclusive o escritório do premiê, Jens Stoltenberg. O número de mortos pode subir, pois as informações ainda estão sendo confirmadas.

Horas depois da explosão em Oslo, um homem vestido com um uniforme policial abriu fogo durante um encontro da juventude do Partido Trabalhista da Noruega, na ilha de Utøya. Houve informações sobre mortos e feridos neste incidente, mas nada foi confirmado pela polícia. Um homem foi preso e pode estar ligado ao tiroteio.

As explosões de Oslo estilhaçaram a maioria das janelas do prédio de 17 andares onde fica o gabinete de Stoltenberg, lançando destroços a uma distância de 400 metros. Primeiro, informações davam conta de uma explosão. Logo veio a suspeita de uma segunda, que não foi confirmada. A polícia não tem suspeitas sobre os autores do ataque.

Em entrevista à BBC, um oficial de polícia afirmou que o premiê não estava no escritório no momento da explosão. Segundo ele, esta informação veio de um comunicado do próprio governo. O policial confirmou ainda que a sede do tabloide Verdens Gang (VG) está localizado na mesma região e também foi afetado pela explosão.

Imagens de TV mostraram vidros e escombros nas ruas e fumaça saindo de alguns prédios. A carcaça de ao menos um carro estava na rua, e testemunhas disseram "sentir cheiro de enxofre". Todas as ruas de acesso ao centro da cidade foram fechadas, segundo a rádio norueguesa NRK. Forças de segurança retiraram as pessoas da área, temendo uma outra explosão.

Uma repórter da NRK disse que a situação era muito confusa após as explosões. "Vi que as janelas do edifício do Verdens Gang (VG) e da sede do governo estavam estilhaçadas. Há pessoas ensanguentadas na rua", declarou a jornalista Ingunn Andersen, da rádio NRK. "Há vidro por todos os lados. É o caos total. As janelas de todos os edifícios nas imediações foram pelos ares", acrescentou.

Uma funcionária do Grand Hotel, localizado a cerca de 5 minutos caminhando dos prédios governamentais, disse à CNN que todo mundo ouviu e sentiu a explosão, que sacudiu todo o prédio. "Foi uma loucura", disse ela. Vivian Paulsen, porta-voz da Cruz Vermelha norueguesa, estava a 20 minutos do centro da cidade e ouviu uma grande explosão.

As fotografias publicadas no site da rede NRK e distribuídas por agências de notícias mostram vidros amontoados diante do edifício do VG e soldados que cercaram o bairro, assim como um grupo de pessoas agachadas ao lado de alguém que parece estar ferido. Ainda segundo a polícia, dezenas de pessoas foram hospitalizadas, algumas com ferimentos graves.

Assista a imagens dos momentos que seguiram a explosão, veiculadas pelo jornal Russia Today

"Fato grave"

As autoridades ainda não falam de atentado e nem se a explosão foi reivindicada, mas a imprensa afirma que o alvo seria o premiê Jens Stoltenberg. Em entrevista, ele classificou o fato como grave. "Apesar de estarmos bem preparados, sempre é muito dramático quando acontece", declarou o chefe de governo falando por telefone com a cadeia TV2 Nyhetskanalen.

Esta seria a primeira vez que um atentado atinge a Noruega, país membro da Otan envolvido no Afeganistão e na Líbia. O bairro em que ocorreu a explosão é central e muito movimento, mas o suposto atentado aconteceu numa época em que muitos habitantes estão de férias fora da cidade.