Voo 447: Airbus diz confiar nas investigações

A Airbus, empresa responsável pela aeronave da Air France, que caiu em 31 de maio de 2009, na costa do Brasil, matando 228 pessoas, informou hoje (27) que apoia as apurações conduzidas pelo Escritório de Investigação e Análises da França (cuja sigla em francês é BEA). Segundo a empresa, há confiança plena nas investigações dos dados contidos nos sistemas de dados contidos pela Data Flight Recorder (FDR) e Cockpit Voice Recorder (CVR)

Em comunicado divulgado no site da Airbus, a empresa informou ainda que o relatório divulgado hoje pelo BEA é parcial e outros dados serão fornecidos futuramente. De acordo com a empresa, os esforços da Airbus são para garantir “viagens seguras” . No texto, há ainda uma mensagem de condolências às famílias das vítimas do acidente aéreo.

Pelo relatório do BEA, há indicações de que o avião caiu, na costa do Brasil, de uma altura de 38 mil pés (aproximadamente 11.582 metros) em três minutos e 30 segundos. Segundo o texto, as turbinas da aeronave estavam funcionando normalmente e respondendo aos comandos da tripulação.

Porém, as investigações mostram ainda que os dois copilotos estavam na cabine e o comandante em repouso. O capitão retornou para a cabine, depois que foi suspenso o sistema de piloto automático.

Também há indicações de desencontros de informações entre as orientações de procedimentos de cabine e o sistema de instrumentos (Isis).

No comunicado, o BEA não dá indicações de falhas por parte dos pilotos. As referências são de que por volta das 2h08 os copilotos relataram turbulência na área onde estavam e necessidade de virar mais à esquerda. O alerta soou duas vezes. Também foi comunicado perda de velocidade da aeronave.