Segundo Rússia, EUA tinham o direito de matar Bin Laden no Paquistão

O chanceler russo, Serguei Lavrov, estimou que os Estados Unidos tinham o direito de enviar um comando ao Paquistão para matar Osama Bin Laden sem avisar Islamabad, em uma entrevista que será publicada nesta quinta-feira.

"Depois do 11 de setembro de 2001, o Conselho de Segurança adotou uma resolução reconhecendo claramente que os EUA têm direito de atuar em autodefesa (...) sem nenhum tipo de limitação", disse Lavrov ao jornal Moskovskie Novosti, segundo a agência RIA Novosti.

"Repito que quem concretizou a operação (para matar Bin Laden) contava com uma base legal para isso", estimou.

O Paquistão não foi informado sobre a operação que matou Bin Laden e, portanto, não autorizou a operação, o que deu lugar a críticas de autoridades paquistaneses que consideram ilegal a ação realizada pelos Estados Unidos.

O presidente russo Dimitri Medvedev, que se encontrará na quinta-feira com o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, saudou nesta quarta-feira a morte de Bin Laden, estimando que terá "um impacto direto" na segurança da Rússia.

Em novembro de 2009, Medvedev havia estimado que a Rússia poderia intervir militarmente em qualquer lugar do mundo para defender seus cidadãos.

"É preciso proteger nossos cidadãos em qualquer lugar do mundo. É preciso sentir a proteção do Estado", declarou na época.