Afeganistão: dois mortos e 29 feridos em ataques em Kandahar

Duas pessoas morreram e 29 ficaram feridas em uma série de ataques neste sábado contra prédios do governo em Kandahar, no sul do Afeganistão, reivindicados pelos talibãs, informou o governador da província.

Tooryalai Wesa indicou que as duas vítimas fatais morreram em meio a um intenso tiroteio.

A violência na cidade que é o coração dos talibãs começou por volta da 01H00 local (06H30 de Brasília), quando militantes com armas e granadas-foguetes escondidos em prédios próximos atacaram o escritório do governador.

Mais tarde, dez explosões, incluindo seis atentados suicidas, dois carros-bomba e duas bombas em riquixás abalaram a cidade, de acordo com Wesa.

Em um comunicado, o gabinete do presidente afegão Hamid Karzai fez uma forte condenação aos ataques, afirmando que eles têm relação com a Al-Qaeda e com a morte de Bin Laden.

"A Al-Qaeda e seus membros terroristas, que sofreram uma importante derrota com a eliminação de Osama Bin Laden em território paquistanês, tentaram escondê-la matando civis em Kandahar e exercendo sua vingança contra o povo inocente do Afeganistão", destacou Karzai no comunicado.

Os talibãs assumiram a autoria dos ataques, e seu porta-voz, Yusuf Ahmadi, afirmou que "pesadas baixas foram infligidas contra o inimigo".

O grupo terrorista afirmou na sexta-feira que a morte, nesta semana, de Osama Bin Laden pelos Estados Unidos dará "um novo ímpeto" à sua luta contra as forças estrangeiras e afegãs.

Mas Ahmadi afirmou que os ataques de Kandahar foram planejados há cerca de três semanas e formam parte do início da ofensiva anual da primavera dos talibãs, anunciada na semana passada.

Um porta-voz da Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF), James Laster, a descreveu como "um ataque espetacular da ofensiva de primavera que foi frustrado".

As tropas da ISAF, lideradas pela Otan, lutaram ao lado das forças afegãs contra os insurgentes.

Existem cerca de 130.000 soldados de tropas internacionais no Afeganistão, dois terços dos quais provenientes dos Estados Unidos, lutando contra os talibãs e outros rebeldes.

A saída limitada das tropas de sete áreas relativamente pacíficas, das quais apenas uma localiza-se no sul do Afeganistão, deve começar em julho, antes do plano para o fim das operações de combate estrangeiras, em 2014.

As forças internacionais afirmam que Kandahar e seus arredores agora estão mais seguros, após meses de intensas lutas para acabar com tradicionais redutos dos talibãs.