Líbia: médico francês diz que Benghazi está em colapso com tantos feridos

PARIS - Um médico anestesista francês que retornou de Benghazi, para onde pretende voltar em missão humanitária, afirmou nesta quinta-feira que o Banghazi Medical Center estava em colapso com a quantidade de feridos na semana passada e pediu a interrupção do "sanguinário" Muamar Kadafi.

"Estava na frente. Os feridos começaram a chegar a partir do momento que os outros hospitais ficaram saturados. Estávamos lotados", declarou à AFP Naceur Benarab, de 60 anos, que trabalhava em Benghazi antes de ser levado no domingo para Trípoli e repatriado na quarta-feira para a França.

"Recebíamos essencialmente feridos de bala, pessoas atropeladas por carros dos milicianos que avançavam com os veículos contra a multidão", completou.

O médico disse ter visto nas ruas de Benghazi, segunda maior cidade do país e epicentro do movimento anti-Kadafi iniciado em 15 de fevereiro, "caminhonetes lotadas de pessoas com fuzis e machados".

Benarab afirmou ainda que pretende viajar à Tunísia, de onde seguiria de barco para Benghazi, em uma missão humanitária tunisiana.