Cinco países europeus pedem uma rápida transição no Egito

França, Alemanha, Grã-Bretanha, Espanha e Itália pediram ao Egito nesta quinta-feira uma transição rápida e ordenada e condenaram as pessoas que usam ou incentivam a violência, na véspera de uma reunião de cúpula europeia que deverá abordar a rebelião popular egípcia.

"Só uma transição rápida e ordenada para um governo de ampla representação permitirá superar os desafios que o Egito enfrenta hoje em dia", afirmam os chefes de Estado e de Governo desses cinco países em uma declaração conjunta divulgada pela presidência francesa.

"Esse processo de transição deve começar a partir de agora", afirma o texto assinado por Nicolas Sarkozy, Angela Merkel, David Cameron, José Luis Rodríguez Zapatero e Silvio Berlusconi.

Os dirigentes europeus "condenam todos os que usam ou incentivam a violência, o que não fará mais que agravar a crise política que atravessa o Egito", afirma ainda a declaração.